Anúncio

Boa tarde, amigo ouvinte.

Existem erros na Língua Portuguesa que são absolutamente compreensíveis: algumas vezes erramos por desconhecer as regras; outras por desconhecer a exceção à regra; outras vezes ainda somos influenciados por questões fonéticas quando confundimos sons e trocamos as letras ou até mesmo atropelamos a ortografia das palavras. É por isso que o Cuidado com a Língua oferece a você, mais uma vez, a oportunidade de sanar suas dúvidas e se especializar em nossa língua. Algumas expressões parecem ter surgido para confundir os falantes, não é mesmo? Sobretudo, quando o desafio é escrever.

No programa de hoje, falaremos mais uma vez sobre aquelas palavras que apresentam sons parecidos e grafia um pouco diferente. Isso acontece porque alguns termos guardam em si significados diversos, porém, foneticamente, não apresentam qualquer distinção. Entre as dúvidas mais recorrentes, uma que ainda causa muita dor de cabeça na hora de passar as ideias para o papel é o uso dos termos a gente (separado), agente (junto) e há gente (com H). Afinal, qual é o correto?

Pois bem.. As três expressões, a gente, agente e há gente, existem e são empregadas em situações bem diferentes! Sim, elas são homófonas (palavras ou expressões diferentes cuja pronúncia é a mesma), mas semanticamente elas não possuem similaridades. Acompanhe-nos e observe quando e como usar essas palavrinhas.

Vamos à explicação?! Afinal, aprender nunca é demais!

Comecemos pela expressão A GENTE (escrito separadamente) A – GENTE.

A gente é uma locução muito empregada na linguagem oral em substituição ao pronome nós. Percebemos muito o uso dessa locução na linguagem literária, mas, nesse caso, devemos considerar o que chamamos de “licença poética”, pois quando escrevemos devemos abrir mão dessa expressão coloquial e preferir obedecer à norma padrão.  Observe o trecho da letra da música “Comida”, dos Titãs:

“(…) A gente não quer só comida

A gente quer bebida

Diversão, balé

A gente não quer só comida

A gente quer a vida

Como a vida quer (…)”

Já a expressão AGENTE (escrita junto) é aquele que, segundo os dicionários, “age, que exerce alguma ação; que produz algum efeito. O que agencia ou trata de negócios alheios. 2 Pessoa encarregada da direção duma agência.” Portanto, a palavra agente pode ser empregada apenas como substantivo e não deve ser confundida com a locução que substitui o “nós”, certo? Agente junto serve para se referir à profissão: agente de trânsito, agente de saúde, agente secreto. Observe a música “Agente secreto” da Banda Garotos Podres:

“Sou um agente secreto

tão secreto que não sei quem sou

a minha agência é tão secreta

que não sei qual ela é (…)”.

Por fim, a expressão HÁ GENTE (escrita com H-Á – conjugação do verbo haver), deve ser empregada conferindo o sentido de que EXISTEM PESSOAS, TEM GENTE. Exemplo: Há gente nesse local; Há gente disposta aqui.

Compreenderam? Portanto, essas três expressões possuem significações bem diferentes, não justificando assim tamanha confusão. Não é mesmo?

Simplificando:

A gente (separado) – substitui o pronome nós.

Agente (junto) – substantivo que se refere a uma profissão.

Há gente (separado e com H) – substitui a expressão “existem pessoas”

Decorou?! Viram como na 96 fm as questões do nosso Português se tornam fáceis!

Essa é nossa preocupação social para com você: Tornar a nossa língua mais fácil e descomplicada para que você se saia bem nas provas e no dia a dia. Por você, escolhemos as dicas mais “Bakanas” de se entender, afinal, você é o que você fala e escreve, não é mesmo?

Envie sua dúvida que teremos o maior prazer em responder. Você pode fazer isso através das redes sociais, pelo site da guanambifm.com.br e agora pelo aplicativo da Guanambi FM. O que você não pode nunca é permanecer com esta dúvida e a 96fm, o mix 96 e o Cuidado com a Língua estão aqui para atender você.

Toda segunda-feira, dentro do mix 96, Cuidado com a Língua, comigo, Fernanda Araújo.

Anúncio

Deixe uma resposta