Anúncio
Ilustração
Ilustração

A exposição aos agrotóxicos vem sendo considerado um sério problema de saúde pública. O Brasil é classificado como um dos maiores consumidores de agrotóxicos no cenário mundial, com destaque para os agrotóxicos de aplicação mais intensa: os herbicidas, que compreendem mais de 50% do total usados no controle de ervas daninhas; seguidos pelos inseticidas, fungicidas e acaricidas.

As consequências do uso de tais agrotóxicos são objeto de pesquisa do Trabalho de Conclusão de Curso dos discentes Robenildo Roney Castro e Graciele Pereira, do curso de Biomedicina da Faculdade Guanambi. O estudo é realizado na região do município de Pindaí, no Sudoeste da Bahia, e tem por objetivo avaliar os níveis da enzima colinesterase nos produtores de tomate expostos diariamente aos agrotóxicos.

Um indicador importante da relação entre a exposição ao agrotóxico e problemas de saúde é a determinação da colinesterase. A colinesterase é a enzima responsável pela hidrólise da acetilcolina, presente nas sinapses, com a função de mediadora química da transmissão de impulsos nervosos através de fibras pré-ganglionares parassimpáticas e pós-ganglionares simpáticas.

A pesquisa é orientada pela biomédica e professora da FG, Kamila Tuany Lacerda, que busca traçar o nível de conhecimento dos produtores sobre o tema e os riscos oferecidos à saúde, além de analisar as condições de trabalho e uso de agrotóxicos, relacionados com os níveis das enzimas obtidas. “Após os resultados obtidos, o objetivo é informar e conscientizar os pequenos produtores sobre os cuidados no armazenamento, manuseio e descarte dos agrotóxicos”, afirma a professora.

Segundo a docente, há carência de registros referentes à exposição aos agrotóxicos no semiárido nordestino, e limitação nas informações referentes aos efeitos dos mesmos sobre a saúde. A inserção de estudos sobre os danos causados pelos agrotóxicos pode apresentar efeitos benéficos na saúde individual e coletiva dos trabalhadores, bem como nas ações do tratamento das intoxicações, sendo assim a pesquisa poderá servir como base para pesquisas futuras.

“Por eu ser da região, sempre tive interesse em trabalhar com os produtores agrícolas, unindo agricultura e biomedicina. A partir daí veio o interesse em estudar o nível de intoxicação por agrotóxicos em pequenos produtores de tomate na região de Pindaí”, afirma o discente Robenildo Roney, que é técnico agrícola e discente de Biomedicina da FG.  Segundo Graciele Pereira, a pesquisa está submetida ao Comitê de Ética, aguardando aprovação. “Estamos recebendo total apoio da FG para a realização do estudo”, afirmou.

Pindaí – O município de Pindaí está localizada na região de Serra Geral, Sudoeste da Bahia. Tem território totalmente abrangido pelo polígono das secas, com predomínio de clima semiárido, fazendo parte da microrregião de Guanambi. Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística- IBGE (2010), a cidade conta com aproximadamente 15.600 habitantes, com grande concentração de famílias na zona rural, o que justifica a agricultura como base da economia do município.

FACULDADE GUANAMBI

Anúncio

Deixe uma resposta