Anúncio

 Olá, Eu sou Fernanda Araújo e estou aqui, em mais uma segunda-feira, para trazer a vocês as dicas mais “BaKanas”.

“Nossa língua portuguesa é a mais linda de todas. Em cada palavra uma chave inesgotável de conhecimentos e vários significativos, mas é preciso domina-la e muito. Cada frase com várias formas de entendimento, cada palavra com vários significados. Na nossa língua não tem meios termos ou é ou não. Um professor de língua portuguesa tem obrigação de nos ensinar corretamente, mas nós que não somos, devemos ter a chance de nos expressar conforme, seja na escrita, cabendo a nós a humildade de aceitar as críticas e de evitar os erros.” (Rosângela Ribeiro)

É por isso que estamos aqui; para ajudar você a descomplicar o Português.

Bem… A nossa dica de hoje diz respeito às questões notacionais da língua. Sabem o que isso significa? Já ouviram falar sobre esses problemas notacionais? Acredito que saibam do assunto, mas que não o tenha visto com esse nome. Pois bem, parece estranho, mas é muito simples.

As questões notacionais dizem respeito ao emprego de determinadas palavras e expressões que frequentemente geram dúvidas. Esses problemas abrangem especialmente palavras e expressões homófonas – sons parecidos, provocando erros ortográficos e semânticos.

Na verdade, no que cerne à modalidade oral, esse tipo de problema não é muito perceptível, pois a pronuncia, na maioria das vezes, é a mesma. Entretanto, na modalidade escrita isso já causa uma grande confusão, pois além dos desvios na grafia, provocam problemas relacionados à semântica, ao sentido. Conhecer bem a escrita das palavras influencia positivamente na elaboração do discurso.

Saberia me dizer quando utilizar mal e mau? Afim ou a fim? Enfim ou em fim? É… acho que você está pensando que estou variando, falando sempre a mesma coisa, mas é como eu disse anteriormente, na fala não vemos diferença, é na escrita e no sentido que eles se confundem.

Então vamos lá. Veja quando e como empregar cada um desses termos para não mais errar.

Comecemos pelo Mal (com L) e Mau (com U).

Esses são os mais conhecidos e menos lembrados… O mal com L pode ser um advérbio, substantivo ou conjunção, por conta disso, refere-se a alguma coisa que foi feita de modo errado, ou ainda a uma calamidade, doença, sofrimento ou problema. Ele é antônimo (contrário) de BEM.

Exemplo:

Você não entendeu o exercício? Você fez tudo mal. (Advérbio. Oposição: bem)

Você nem imagina o mal que você me faz. (Substantivo comum. Oposição: bem)

Mal saí da escola, já estavam esperando por mim do outro lado da rua. (Conjunção subordinativa temporal)

Já o MAU, escrito com U, por ser um adjetivo, serve para qualificar os seres; sendo sinônimo de malvado, cruel, desumano, incompetente, entre outros. Nesse caso, é antônimo de BOM.

Exemplo:

Você é um mau amigo. (Oposição: bom amigo)

Esse cachorro é mau. (Oposição: é bom)

Os termos a fim (separado) e afim (junto) também são vistos como um problema. É afim junto ou separado?

Bom, afim (junto) é utilizado sempre como sinônimo de semelhante, parecido, afinidade, aliado.

Teríamos: O espanhol é uma língua afim com o português. Logo, o espanhol é uma língua semelhante/parecida com o português.

Já o a fim (separado) é uma locução prepositiva e, portanto, deve ser substituído sempre por: para, com o propósito de, com a intenção de.

Teríamos: “O caminho de um líder a fim de conquistar os seus objetivos, tem como base fundamental o respeito”. Ou então, o caminho de um líder para conquistar os seus objetivos, tem como base fundamental o respeito.

Olhem como bem cantam Jorge e Mateus. (Romance)

“Tá a fim de um romance, compra um livro. Se quer felicidade vem me ver de novo, mas se quer amor…”

Por fim, as expressões em fim e enfim.

Em fim, escrito separadamente, equivale à expressão “no fim”; indica que algo está acabando ou acabou.

Exemplo: O jogador de futebol está em fim de carreira. Logo, ele está no fim da carreira.

Já o enfim, escrito junto, equivale à “finalmente”; indicando conclusão de algo.

Exemplo: Enfim conseguiremos comprar a casa. Logo, finalmente compraremos a casa.

Como eu já disse, esses erros não causam confusão na hora da fala, mas na escrita trazem muitos prejuízos ao seu texto. Portanto, é bom ficar atentos a sua ortografia e semântica a fim de não cometer erros. Essa são apenas algumas das palavras que trazem problemas notacionais, pois o ciclo delas é bastante extenso. A primeira pedra de curiosidade foi lançada. Que tal você também embarcar nessa e desvenda os mistérios que há por trás de cada palavrinha da nossa língua? O convite está refeito! Venha você também ter “Cuidado com a Língua” e se tornar fera. Mas…Em caso de dúvida, envie-a que responderemos com maior prazer. Afinal, só o Cuidado com a Língua oferece a você a oportunidade de sanar suas dúvidas.

Toda segunda-feira, dentro do Mix 96, Cuidado com a Língua, comigo, Fernanda Araújo.

Anúncio

Deixe uma resposta