Anúncio

A produção de cerâmicas é uma das principais atividades econômicas da Região de Guanambi. Nos últimos anos vem crescendo a fiscalização ambiental nas empresas do ramo, fruto das ações da Fiscalização Preventiva Integrada, coordenada pelo Núcleo de Defesa do Rio São Francisco (NUSF) do Ministério Público da Bahia. Diversas empresas foram multadas e tiveram que cumprir exigências para que continuassem a funcionar. Um dos principais problemas encontrados foi o uso de madeira de mata nativa nos fornos.

Alheia a esse problema, uma empresa de Guanambi vem investindo em novo conceito em tijolos. Fabricados com resíduos da construção civil, terra, cimento e água, os Tijolos Ecológicos ou Tijolos Modulares não vão ao forno, o que evita a queima de madeira. Estima-se que até 10 arvores são queimadas para produção de um milheiro de tijolos convencionais.

Trata-se da FATEC Fabrica de Tijolos Ecológicos, localizada no Bairro Industrial, que há cerca de 2 anos produz esse tipo de tijolo que pode reduzir em até 30% o custo final de uma obra. Em sua página no Facebook, a empresa mostra que os benefícios do uso desse material vão além do ecologicamente correto  e da economia. Eles proporcionam melhor isolamento térmico e acústico, maior resistência a impactos e a facilidade no acabamento das obras, dispensando o uso de rebocos e pinturas

Visite a página da FATEC e veja as fotos das obras.

10731078_744583122295063_2885479703278105241_n

Anúncio

Deixe uma resposta