Tiago Marques | Redação 96FM

Após a repercussão das reportagens sobre contaminação da água de um poço na região de Varginha, distrito de Lagoa Real, o Ibama e o Meio Ambiente determinaram a suspensão imediata do consumo da água do poço. A decisão foi dada diretamente pela ministra Izabella Teixeira que soube do caso após reportagem do Jornal o Estadão.

O Ibama notificou a INB e Comissão Nacional de Energia Nuclear (CNEN) e órgãos ambientais para que providencias sejam tomadas para assegurar a integridade da população. A INB pode ser multada por omitir a informação. A estatal nega irregularidades e a CNEN reafirma o que diz a INB, que a contaminação da água não está relacionada com as atividades da empresa.

Casos de Câncer são vistos como rotina em Lagoa Real

Uma terceira reportagem do Jornal o Estadão, também publicada neste sábado (22), diz que casos de câncer na região são vistos como rotina. o secretário de saúde, Willike Fernandes Moreira diz à reportagem que a maior parte dos gastos do município são com saúde e que nota-se que os casos de realização de biopsias aumentou muito nos últimos anos, embora não haja dados oficiais que relacione a atividade com os casos da doença na região. Em 2014 o Fundação Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz) se comprometeu a fazer um estudo sobre a relação entre a mina de urânio e a incidência de câncer na região, porém não obteve dados oficias para embasar o estudo e emitir um relatório conclusivo.

Foto: O Estadão

2 comentários

  1. […] O IBAMA autuou a INB por não ter notificado a contaminação. O órgão tomou providências assim que ficou sabendo do caso através da reportagem do Jornal O Estado de São Paulo. A INB alega que fez as análises como um favor ao proprietário do poço e que não notificou os órgãos ambientais por se tratar de região fora da  área de atuação da empresa. […]

Deixe uma resposta