Anúncio

Tiago Marques | Redação 96FM – Colaboração Isac Soares

A umidade relativa do ar, que na tarde de ontem chegou a 10% em Guanambi, e o tempo seco associado ao calor intenso, pode ocasionar o aumento significativo do número das ocorrências de incêndios ambientais nas florestas da região.

umidade_relativa_do _ar

Como de costume, nesta época do ano as condições climáticas ficam propícias para que o fogo se alastre rapidamente, causando problemas e incêndios ambientais.

11998475_1123519550996053_1851403817_n (1)
Os pontos coloridos mostram onde os satélites do INPE detectaram uma anomalia na elevação de temperatura que pode ser um foco de incêndio.

Em grande parte dos casos, as queimadas são provocadas intencionalmente e muitas vezes em terrenos próximos a residências, causando transtornos para quem mora nas redondezas. Com a combinação de tempo seco e fumaça, os problemas respiratórios podem ficar ainda mais agravados.

A forma mais efetiva de colaboração contra incêndios florestais é evitar queimar lixo em terrenos e principalmente as bitucas de cigarro.

risco_de_incendio
INPE – Risco de Incêndio é altíssimo em boa parte do interior do país. Estado é de alerta no Parques Estadual da Serra dos Montes Altos

Clima de Deserto

Em 12 horas a temperatura oscilou 16,8ºC em Guanambi segundo o Instituto Nacional de Meteorologia. Por volta de 17:00 do sábado a temperatura chegou a 38,7ºC, pela manhã deste domingo, os termômetros marcaram 21,9ºC.  A troca de calor com a atmosfera é aumentada devido à baixa umidade.  Nas cidades, devido ao aquecimento durante o dia, a percepção da queda da temperatura é mais acentuada do que nas zonas rurais. Essa oscilação brusca de temperatura pode afetar pessoas que sofrem de problemas relacionados ao aparelho respiratório.


Anúncio

2 comentários

Deixe uma resposta