Tiago Marques | Redação 96FM

A Polícia Militar de Guanambi vai investigar e tomar as providências cabíveis contra quem divulgar os locais onde estão ocorrendo blitz no Whatsapp. A informação foi repassada pelo comando do 17º Batalhão durante entrevista nesta sexta-feira (25) ao programa MIX 96.

www.gaspeseguranca.com.br

O Cap. Suarez disse que duas pessoas já foram identificadas e que serão chamadas para prestar depoimento. Ele lembrou que este ato pode ser tipificado com crime previsto no artigo 265 do código penal, pois se caracterizada como  atentado contra a segurança de serviço de utilidade pública. O Ten. Cel. Braga lembrou de resultados positivos das blitz, como o caso de uma motocicleta que foi tomada de assalto próximo ao banco Bradesco e que ao tomar fuga, o assaltante avistou uma Blitz e abandonou a moto na Av. Santos Dumont. Uma segunda moto furtada em Brumado também foi recuperada durante uma blitz em Guanambi.

O comandante alertou sobre o que pode acontecer quando as blitz são avisadas. “É importante destacar que quando você informa o ponto de blitz não está só informando à pessoas de bem, mas pode estar avisando alguém que está portando uma arma ilegal, drogas, enfim, um criminoso”.

vianorte post

As pessoas identificadas pela polícia pela prática podem ter que responder na justiça e a pena é de reclusão, de um a cinco anos, e multa. No Whatsapp uma brincadeira virou viral nos grupos de notícias de Guanambi. Uma imagem e o nome do Ten. Cel. Braga aparecem indicando que ele entrou no grupo, logo após o Bafômetro também entra no grupo, imediatamente a malandragem sai do grupo. Veja:

blitz

 

Anúncio

2 comentários

Deixe uma resposta