Anúncio

Tiago Marques | Redação 96FM | Informações O Estadão | imagem ilustrativa

A contaminação da água por urânio na localidade de Varginha, Zona Rural de Lagoa Real, foi confirmada nesta sexta-feira (02) pelo Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (INEMA). A água contaminada é oriunda do poço perfurado em 2013 pela Companhia de Engenharia Hídrica e Saneamento da Bahia (Cerb) fica na propriedade do senhor Osvaldo de Jesus, onde vive com a família.Sketch PostA análise da amostra colhida pelo INEMA confirmou as duas análises anteriores realizadas pela estatal Indústrias Nucleares do Brasil (INB). O volume de urânio encontrado é 4 vezes maior do que o limite estabelecido pelos órgãos de saúde para consumo humano.

O Jornal O Estado de São Paulo teve acesso aos laudos e constatou que o teor de urânio na água do poço é de 60 microgramas de urânio por litro de água. O limite tolerável é de 15 microgramas, está água só seria recomendada para matar a sede de animais. Em um outro poço analisado foi constatado o teor de 12,7 miligramas de urânio por litro, valor bem próximo do limite para consumo humano e superior ao recomendado para irrigação de áreas que necessitam de até 3.500 m3 de água. As análises foram realizadas pelo Centro de Pesquisa e Desenvolvimento (Ceped).

banner_POST

Em entrevista, o Secretário de Meio Ambiente da Bahia, Eugênio Spengler disse que novas coletas serão feiras em poços da região. O monitoramento da qualidade da água na região é uma reivindicação antiga de lideranças sociais e ambientas. A INB nega qualquer tipo de relação das atividades de extração de minério à contaminação do poço que fica  distante 20km da mina.

VEJA MAIS SOBRE ESTE CASO

VEJA A MATÉRIA COMPLETA DO ESTADÃO

 


Anúncio

um comentários

Deixe uma resposta