Anúncio

Os vereadores Agostinho Lira, Adão Oliveira, Agostinho Paes, Eponina Gomes, Neto de Dim, Jair Rocha e Hugo Costa não compareceram à sessão extraordinária da Câmara de Vereadores de Guanambi na noite desta segunda 21/12.

A sessão contou com a presença de sete vereadores e do Presidente da Casa, Carlos Jackson (Loló). Foram aprovados diversos projetos do executivo e legislativo. Contudo, não houve quórum qualificado para votação dos projetos que autorizam o executivo a doar áreas para Maçonaria, Igrejas Evangélicas e empresas no recém-criado Centro Empresarial Norte. Durante muitos anos, as entidades realizam relevantes trabalhos sociais na cidade, e rogaram ao poder público municipal a doação de áreas para melhor executar os seus projetos, além de empresas que geram centenas de empregos na cidade.

Na sessão anterior, diante do grande público presente, muitos dos vereadores ausentes se posicionaram a favor do projeto de doação para as entidades. Curiosamente, muitos dos mesmos refutaram a fala ríspida de um advogado soteropolitano que usou da palavra na tribuna, ameaçando os mesmos com ações judiciais, caso as doações fossem aprovadas, causando revolta da maioria, sendo inclusive aprovada uma moção de repudio pela fala do jurista.

O Presidente da Casa, Carlos Jackson afirmou que irá convocar nova sessão extraordinária onde “espero a presença de todos para o debate aberto e democrático de projetos tão importantes”.

Em todas as gestões municipais, foram aprovadas doações de terrenos para empresas, igrejas, associações comunitárias. Os terrenos do atual fórum do Tribunal de Justiça da Bahia em Guanambi, para construção da sede da Justiça Federal, do Ministério Público Estadual, Faculdade Guanambi, etc, também foram doados com aprovação da Câmara de Vereadores. Até o presente momento, nenhum dos vereadores ausentes manifestou ou justificou a causa da ausência na importante sessão de votação.

Edição: Redação IGuanambi – www.iguanambi.com.br
Fonte: Ascom Câmara de Vereadores

Anúncio

Deixe uma resposta