Tiago Marques | Redação 96FM

A atual temporada de chuvas tem preocupado agropecuaristas de Guanambi e Região.  A atuação do El Niño, fenômeno que tem concentrado as chuvas no Sul do país, proporcionou pouca chuva no Nordeste e outras áreas do país. No acumulado de Outubro à Dezembro, foram registrados pouco mais de 90mm de chuva na estação meteorológica do INMET, localizada no Aeroporto Municipal Isaac Moura Rocha.

pg_graf_chuva_aut (1)

Este volume é três vezes menor do que o mesmo registrado no mesmo período do ano passado. Em um só dia de 2014, a estação registrou 96 mm, ou seja, em 17 de Novembro daquele ano choveu mais do que os três últimos meses de 2015.
O mês de dezembro registrou um dos piores índices pluviométricos da historia na região de Guanambi, as chuvas ficaram nitidamente abaixo da média histórica, o que acarretou profundamente a baixa disponibilidade de água no solo, afetando drasticamente a produção agropecuária da região. Para se ter uma ideia da gravidade, a estação meteorológica registrou apenas 11,8 mm, o que dá em torno de 12 litros de água por metro quadrado.

Agropecuária em Colapso

Imagem Ilustrativa
Imagem Ilustrativa

Já há relatos de muitas lavouras perdidas devido a grande estiagem. O sorgo, cultura resistente ao clima do semiárido não está resistindo e os prejuízos já estão sendo contabilizados. A situação deve se agravar em breve, com a falta do produto para a elaboração da silagem, a criações de gado ficará inviabilizada.

A situação de pouca chuva no Oeste Baiano também preocupa. A seca afetou drasticamente a produção de grãos, dificultando ainda mais a situação dos pecuaristas que recorrem, em especial ao milho e ao farelo de soja de Barreiras que ficou muito caro. A triste cena de animais mortos, poderá ser constante nos próximos meses se a situação não melhorar.

Vem Chuva aí? Está difícil afirmar…

O mapa de estimativa do Inpe/Cptec apontam chuvas entre 30 a 40mm na Região nos próximos 15 dias. Os maiores volumes devem ocorrer entre os dias 4 e 5.
O mapa de estimativa do Inpe/Cptec aponta que deve chover entre 30 a 40 mm na Região nos próximos 15 dias. Os maiores volumes devem ocorrer entre os dias 4 e 5.

As instabilidades que se formaram nesse final de mês continuarão atuando sobre a região pelos próximos 15 dias, mas como o fenômeno climático de caráter atmosférico-oceânico El Niño, onde as principais agências meteorológicas internacionais afirmam que o seu ápice será em Janeiro de 2016, as pancadas de chuvas continuarão isoladas e com baixa intensidade em todo o centro-sul baiano.

As cores azuladas são de chuvas acima da média e as de tons avermelhados abaixo da média. As áreas em branco apontam chuvas dentro da média. Além do El Niño, a formação dos Vórtices Ciclônicos impedirá o avanço das chuvas para a Região.
As cores azuladas são de chuvas acima da média e as de tons avermelhados abaixo da média. As áreas em branco apontam chuvas dentro da média. Além do El Niño, a formação dos Vórtices Ciclônicos impedirá o avanço das chuvas para a Região.

Os modelos de estimativa de precipitação indicam possibilidades de chuvas dentro da média histórica para os meses de Janeiro, Fevereiro e Março de 2016, mas vários fatores tendem a deixar as previsões mais desanimadoras.

As chuvas avançarão pelo Norte de Minas com mais intensidade, mas devido a constante formação dos Vórtices Ciclônicos de altos Níveis (VCAN) que altera a circulação atmosférica pelo sertão nordestino, as chuvas de maior intensidade se concentrarão no Oeste e leste baiano nas chamadas bordas de atuação dos VCAN´s.

Réveillon sem chuva em Guanambi

Modelo ECMWF - Não deve haver formação de instabilidades na região por volta de 21:00 deste último dia de 2015
Modelo ECMWF – Não deve haver formação de instabilidades na região por volta de 21:00 deste último dia de 2015

A prefeitura de Guanambi realiza nesta quinta-feira (31), uma das maiores festas de Réveillon do estado. Para que vai curtir os shows na praça do Feijão, a notícia é que não deve chover durante a festa. As meninas podem caprichar, não importa se é cabelo cacheado ou lisinho, a probabilidade da chuva estragar o penteado é de quase Zero.

2 comentários

  1. […] Já funciona em Guanambi desde 2008, a estação automática do Instituto Nacional de Meteorologia (INMET). Esta estação está localizada no aeroporto Isaac Moura Rocha, além da precipitação, são coletados dados de temperatura, umidade do ar, velocidade do vento e radiação. Em 2015 foi registrada a maior temperatura desde o seu funcionamento. No dia 13 de Novembro os termômetros chegaram a marcar 40,6ºC. A estação do INMET também registrou a falta de chuvas no semestre de 2015, foram registrados apenas 90mm de precipitação. […]

Deixe uma resposta