Anúncio

A Prefeitura de Santo Amaro divulgou nesta terça-feira (12) o cartaz da Lavagem da Purificação e foi acusada de racismo por conta da imagem usada, que traz apenas pessoas brancas – a maioria loira. Os internautas questionaram a falta de representatividade do cartaz.

‘Que p… é essa nesse cartaz??? Como assim só tem branco? Parece que a Lavagem da Purificação vai ser na Suécia!”, criticou uma pessoa. “Santo Amaro ainda fica no recôncavo baiano ou a cidade foi transportada para o sul do país? Que cartaz ridículo! Tirem isso, pois está muito feio para vocês. Eu estava ansiosa pela festa, mas depois dessa perdi a empolgação”, escreveu outra. “Racismo com nosso dinheiro. Inadmissível tamanha barbárie nesse cartaz. Onde podemos fazer uma denúncia formal?”, quis saber outro.

Diante da repercussão negativa, a prefeitura respondeu na própria página. “Não existe racismo ou preconceito algum. Todo radicalismo e extremismo perde a razão no momento que você desrespeita a visão do outro. Pense ao contrário, se o cartaz fosse apenas com pessoas negras, as pessoas brancas poderiam se sentir ofendidas e fazer a mesma crítica que você? Somos contra qualquer tipo de preconceito, racismo, estereótipo, ofensas, radicalismo e extremismo. Respeitamos sua opinião, entretanto, você deveria ter mais cuidado ao julgar pessoas, instituições e o governo municipal como preconceituoso. Em nosso município, Estado e país, somos uma linda mistura de raças e cores”. Posteriormente, a prefeitura publicou compartilhou em sua página oficial peças publicitárias anteriores para justificar que não comete racismo.

A resposta não agradou à maioria. “Que erro grosseiro argumentar com base em “preconceito reverso”! É no mínimo inverossímil a imagem que vocês escolheram para representar uma festa popular no Recôncavo da Bahia!”, rebateu uma internauta.

FOTO É DE AGÊNCIA EUROPEIA

Pomo da discórdia, a foto usada pela prefeitura de Santo Amaro para divulgar a Lavagem da Purificação é também utilizada ao redor do mundo para atrair turistas para cidades europeias. A imagem de jovens caucasianos pertence a uma agência que divulga em seu site a vida noturna em Budapeste, na capital da Hungria. Após acusações de racismo (leia sobre), a prefeitura da cidade no Recôncavo da Bahia tentou se justificar respostando fotos em que negros aparecem. A estratégia parece não ter convencido muita gente nas redes sociais e, nesta quarta-feira (13), o Ministério Público da Bahia pediu que a prefeitura mudasse a peça (veja aqui).

Anúncio

Deixe uma resposta