Redação 96FM

Nesta sexta-feira, 24, a Comissão dos Direitos Humanos da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) de Salvador denunciou humilhações e agressões que detentos vem sofrendo no presídio de Vitória da Conquista.

De acordo com a OAB, em dias de revistas os presos são colocados em fila, seminus e são obrigados a cantar músicas que exaltam a Companhia de Ações Especiais do Sudoeste e Gerais (Caesg), como era chamada a Companhia Independente de Policiamento Especializado (Cipe).

Ainda segundo a OAB, os presidiários são forçados a cantar versos como “eu sou putinha” e “Caesg é barril”. Caso não cantarem, apanham.

Com base em matéria do Jornal Folha de São Paulo, a OAB afirma que há casos de espancamentos, armas de choque, uso de cachorros como intimidação e também o de spray de pimenta contra os detentos.

A OAB cobra do governo da Bahia a investigação da morte de um detento em 12 de fevereiro, em uma cela onde estava com mais seis presos. A direção do presídio havia divulgado que o detento havia morrido ao cair do beliche e bater com a cabeça no chão.

Em nota, a OAB afirma que “foram constatados no IML (Instituto Médico Legal) diversos hematomas e cortes no rosto da vítima (comprovados por fotografias)”.

A Polícia Militar da Bahia nega o caso. Disse, em nota, que não há registro na Ouvidoria ou na Corregedoria de denúncia sobre a atuação de PMs no presídio e que disponibiliza um telefone gratuito e um site para receber queixas.

Foto: Reprodução/O Popular

Anúncio

Deixe uma resposta