Anúncio

Redação 96FM

Dois empresários paulistas, um de 65 anos e outro de 40, pai e filho, foram apresentados na manhã desta quarta-feira, 29, à imprensa pela delegada Maria Selma Lima, titular da 16ª Delegacia Territorial (DT/Pituba), em Salvador. Ambos são suspeitos de tentar aplicar um golpe de R$ 28,8 bilhões em Títulos do Tesouro Nacional (TTNs) e tinha prisões preventivas já decretadas por estelionato pela justiça.

Ao atender os dois, nesta terça-feira, 28, um gerente do Banco do Brasil desconfiou do golpe e chamou a polícia. Pai e filho estavam acompanhados de um grupo de empresários de São Paulo e da Bahia. Uma equipe do Departamento de Repressão e Combate ao Crime Organizado (Draco) foi à agência e conduziu todos à DT/Pituba, que ficou com o caso.

O gerente do BB, em depoimento à delegada Maria Selma, disse que os empresários foram à agência para abrir uma conta corrente e receber um depósito de R$ 28,8 bilhões referentes às TTNs que tinham em mãos. O Banco Central é que faria isso. Como os documentos de propriedade dos títulos que apresentaram eram incompatíveis tanto em relação aos valores, quanto em relação aos modelos usualmente usados nessas transações, decidiu denunciá-los.

Eles são proprietários de uma empresa com sede em Alphavile, em Barueri, estado de São Paulo, atuando no ramo de desenvolvimento e licenciamento de programas de computadores não customizáveis, e não em corretagem de valores, o que sugeriria alguém que porta títulos no valor de bilhões.

A delegada Maria Selma está buscando entender porque os dois empresários escolheram a Bahia para abrir uma conta corrente para a transação. Ela obteve informações de que os dois já estiveram em outros estados e em outros bancos com o mesmo objetivo: abrir uma conta corrente para sacar R$ 28,8 bilhões.

Foto: Divulgação/Polícia Civil

Anúncio

Deixe uma resposta