Tiago Marques

Edvan Rodrigues de Souza, o Buiu da Praça é Nossa, foi entrevistado por Danilo Gentilli, no programa The Noite do SBT da última quinta-feira (20). O humorista está completando os 30 anos de sua estreia no programa semanal do canal de Silvio Santos e está viajando pelo país com seu show de humor.

Na entrevista ele conta que nasceu em Caetité (nas redes sociais alguns de seus conterrâneos informaram que ele nasceu em Pajeú dos Ventos), no ano de 1981, sua mãe foi abandonada pelo companheiro quando estava grávida, ela acabou indo morar na rua até ser acolhida por um albergue, onde Buiu nasceu e viveu até os quatro anos de idade. Ele revela que a mãe era alcoólatra e que saia pelas ruas da cidade em busca de restos de comida e bebida. “Na Bahia eles deixam as barracas da feira armada, as vezes minha mãe chegava ao albergue e estava fechado, a gente ia dormir debaixo das barracas da feira, passava frio, passava fome, as pessoas maltratavam, chutavam a gente”, conta.

A vida do humorista mudou aos quatro anos de idade, um dia ele conheceu um homem que chegou de São Paulo para visitar seus irmãos. Buiu conta que este homem tinha o sonho de adotar uma criança e que havia agradado do seu jeito do moleque. Após insistir por uma semana com a mãe de Edvan, ela concordou em dá-lo para adoção e ele deixou Caetité com seu pai adotivo. Ao chegar em São Paulo, descobriu que o pai queria fazer uma surpresa para a esposa, que não sabia de nada e não gostou do ‘presente’ que o marido trouxe da Bahia. Já no primeiro dia ele teve que dormir na casa da vizinha e depois conviveu com agressões da mãe adotiva. “Foi difícil ela aceitar, eu apanhei bastante dela quando meu pai não estava por perto”, revela Buiu.

A sua estreia na Praça é Nossa foi pouco depois de chegar à São Paulo, com um violinha de plástico ele chamava a atenção dos fregueses do bar do pai. Depois de despertar a atenção de muita gente, Buiu foi ao SBT fazer um teste para o programa, no corredor o humorista Arnaud Rodrigues o pegou pelos braços e ali mesmo encerrou o teste, escolhendo o caetiteense para o papel no quadro que estrearia dias depois e o batizando de Buiu da Praça.

Buiu ficou marcado no programa pelos bordões “Bobeou, a gente pimba!“, “É chato ser gostoso.” e recentemente o “Traduzindo”, onde ele é um garçom que observa a conversa dos clientes e traduz em poucas palavras algumas das muitas desculpas, mentiras e eufemismos que elas dizem umas às outras. Um dos papeis mais marcantes foi quando interpretou o personagem Azeitona, formando dupla com Vera Verão (Jorge Lafond).

Na íntegra da entrevista ele fala sobre seus altos e baixos na carreira e assiste momentos marcantes de sua atuação.

 

Anúncio

Deixe uma resposta