Foto: Divulgação/Assessoria Incra
Anúncio

No último domingo (06), seis trabalhadores rurais foram assassinados no Território Quilombola de Iúna, no município de Lençóis, região da Chapada Diamantina. Por meio de nota emitida nesta terça-feira (08), a Superintendência do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) na Bahia lamentou o caso ocorrido.

De acordo com a Polícia Civil, as vítimas foram executadas em duas residências. Na primeira casa, quatro homens acabaram mortos, enquanto o restante foi localizado em outro imóvel. A titular da Delegacia Territorial (DT/Lençóis), Mariela Campos, está apurando o caso e não deu detalhes das investigações.

As vítimas foram identificadas como Adeilton Brito de Souza, Gildásio Bispo das Neves, Amauri Pereira Silva, Valdir Pereira Silva, Marcos Pereira Silva e Cosme Rosário da Conceição. Segundo informações da polícia, as mortes possuem ligação.

Segundo a corporação, algumas pessoas já foram ouvidas. Entretanto, novos detalhes não foram divulgados para não prejudicar as investigações. Segundo o Incra, os crimes foram comunicados na segunda (7) à Delegacia Agrária. A Secretaria Estadual da Casa Civil será oficiada.

Ainda segundo o órgão, a delegada agrária, Giovanna Bomfim, e o representante da Ouvidoria Regional Agrária do Incra/BA, estarão em Lençóis a partir do próximo dia 14 de agosto, para acompanhar as investigações.

Com estes assassinatos, chegam a oito o números de trabalhadores rurais quilombolas mortos em menos de um mês na Bahia; o sétimo, na comunidade Iúna. No último dia 16 julho, Lindomar Fernandes Martins foi assassinado a tiros. Ainda em julho, o presidente da Associação de Trabalhadores Rurais da comunidade quilombola Jiboia, José Raimundo Mota de Souza Junior, também foi morto.

Anúncio

Deixe uma resposta