Willian Silva – Agência Sertão

Durante o mês de outubro, a Diocese de Caetité, sob o comando do bispo Dom José Roberto Carvalho, empossado em Janeiro de 2017, criou duas novas paróquias, uma em Caetité e a outra em Guanambi. Em Caetité a comunidade Nossa Senhora Aparecida, no bairro Ovídio Teixeira, foi elevada a categoria da paróquia, na quinta-feira (12), dia de Nossa Senhora Aparecida e será regida pelo padre Waldech Brito Gondim. Já em Guanambi, a comunidade de São Geraldo Majella também passou pelo mesmo processo e tornou-se paróquia na noite desta segunda feira (16) e será comandada pelo sacerdote caetiteense, padre Eutrópio Aécio. Algo a ser observado em relação a Caetité é que, depois de 200 anos que criou-se uma segunda paróquia dentro da cidade o que causou aprovação e reprovação por parte dos fiéis.

A criação da paróquia de São Geraldo Majella, no Bairro Brasília,  foi anunciada por Dom Carvalho no dia 13 de Junho de 2017 na festa de Santo Antônio, padroeiro de Guanambi. O anúncio se concretizou na noite desta segunda-feira (16) com a Instalação Canônica da nova paróquia que contou com a participação de padres da Diocese e do bispo Dom Carvalho. Houve grande participação da população católica de Guanambi no evento que contou, com aproximadamente, mil pessoas.

Criação da Paróquia de São Geraldo Majella em Guanambi Foto: Neide Lu

Mas em meio a festa por conta da criação das duas paróquias, a Diocese de Caetité e a Prefeitura de Guanambi estão em meio a uma polêmica sobre a doação de um terreno da prefeitura para a Diocese. Segundo a organização PROBUS (Associação de docentes e discentes da UNEB, com sede em Brumado, mas sem ligação direta com a Universidade), a doação do terreno foi irregular pois não seguiu a legislação municipal.

Procurados pela Agência Sertão, a Assessoria de Comunicação da Prefeitura de Guanambi informou que a Administração Municipal não iria se pronunciar, pois “estão procurando uma maneira de sujar o nome do prefeito Jairo Magalhães e da Igreja Católica que vem realizando um excelente trabalho social em Guanambi”, disse a assessoria. Também procurado pela reportagem, o presidente da organização PROBUS, Eunadson Donato, informou que “são vários os projetos de leis que foram encaminhados para a câmara municipal para fins de doação de bens públicos municipais”, mas não nos contou mais detalhes acerca da notificação extra-judicial que foi encaminhada as duas entidades. A Diocese de Caetité, através de nota informou “que não houve ato de recebimento de nenhuma doação de terreno da Prefeitura Municipal de Guanambi e que qualquer doação observará como de costume, de maneira rigorosa, a legalidade da mesma, não aceitando nenhuma doação de forma ilícita ou que tenha sua origem na má fé”.

Criação da Paróquia N.S. Aparecida em Caetité. Foto: Foto Estrela

Deixe uma resposta