Leitor da Agência Sertão
Anúncio

Tiago Marques | Agência Sertão

Um grupo de moradores do município de Correntina ocupou a Fazenda Igarashi em protesto contra as autorizações de captação de água concedidos pelo Instituto Estadual de Meio Ambiente (INEMA). Segundo os organizadores do movimento, a captação de água para irrigar lavouras tem afetado os rios Correntina, Arrojado, Santo Antônio e Rio do Meio, todos localizados no município. Outros rios da Região Oeste, tem sofrido com a captação de água.

O grupo é formado por agricultores familiares das margens do rio Arrojado, eles justificam que a captação de água de grandes empreendimentos têm afetado a oferta de água para a subsistência da população ribeirinha, bem como o modo de vida local. Equipamentos do sistema de irrigação e tratores foram destruídos no protesto. Policiais do CIPE/Cerrado estiveram no local, não informações de prisões. Os manifestantes chegaram a bordo de dez ônibus, carros e caminhões.

O rio São Francisco tem sofrido com a degradação de seus afluentes, no Oeste da Bahia estão os principais rios que ajudam o Velho Chico a correr pelo sertão baiano. O rio Corrente é um destes importantes afluentes, ele nasce no alto das serras na divisa da Bahia com Goiás e é formado pela confluência dos Arrojado e Formoso, próximo à cidade de Santa Maria da Vitória.

O grupo Igarashi Fazendas é composto pelas Fazendas Igarashi e Curitiba (arrendada pelo grupo) A Fazenda Curitiba já possuía outorga d’Água autorizada pelo estado. Em 2015 a Fazenda Igarashi conseguiu outorga d’água para irrigar 2.530 hectares com o volume de 180.203 metros cúbicos/dia. A autorização é para 32 pivôs de água superficial (retirada diretamente do Rio Arrojado). O Empreendimento encontra se em fase de implantação. Ainda segundo os manifestantes, o empreendimento se deslocou da Chapada Diamantina, por ter secado um dos afluentes do Paraguaçu.

Fazenda fica localizada entre dois importantes rios – Google Maps

O conflito entre fazendeiros e ribeirinhos é antigo, remota do início da década de 70, quando a fronteira agrícola começou a se expandir pela região, ocupada antigos moradores que se viram confrontados com a expansão de latifúndios nas extensas terras devolutas. O documentário “Guerra e Paz no Sertão” ( Leandro Caetano – 2007), relata o início do conflito na região, marcada pela pistolagem e pela grilagem.

O município de Correntina possui extensão de 12.142 km².

Anúncio

um comentários

Deixe uma resposta