Reprodução

O município de Salvador declarou estado de alerta para surto do mosquito transmissor da dengue, zika e chikungunya. A cada 100 residências, 2,3 têm focos do mosquito Aedes aegypti. No total, 44,1% dos municípios baianos estão em situação de alerta e 27% apresentam risco de contaminação pelo mosquito. Os dados foram apresentados nesta terça-feira (28), em Brasília, pelo ministro da Saúde, Ricardo Barros.

Em todo o país, 3.946 cidades responderam ao levantamento, sendo 281 baianas. Dentre as 18 capitais que participaram do chamado Levantamento Rápido de Índices de Infestação de Aedes aegypti  (LIRAa), nove estão em situação satisfatória, com menos de 1% das residências com larvas do mosquito em recipientes com água parada, e as outras nove em alerta, dentre elas Salvador, Vitória (ES) e Manaus (AM).

Para realizar o levantamento, o Ministério da Saúde separa em faixas de risco, alerta e satisfatório. Aqueles que apresentam um índice de infestação de mosquito acima de 3,9% estão em situação de risco – ou seja, a cada 100 residências, quatro ou mais estão infestadas pelo mosquito. A situação de alerta é atingida quando o índice é entre 1% e 3,9% – caso de Salvador, com 2,3%. Já o índice satisfatório é atingido por aqueles bairros em que as residências apresentam índice menor do que 1%, de acordo informações do Correio.

Deixe uma resposta