Reprodução

Em nova portaria sobre trabalho escravo publicada nesta sexta-feira (29), o governo tornou mais rigorosas as definições de jornada exaustiva e condição degradante do trabalhador, além de ampliar outros conceitos para configuração desse tipo de mão de obra.

De acordo com o G1, também foi retirada a exigência da autorização do ministro do Trabalho para divulgação da lista suja das empresas autuadas por manter profissionais em condição de escravidão.

Com as mudanças, auditores do trabalho voltam a ter mais possibilidades de enquadrar um empregador como explorador de mão de obra análoga à escravidão.

O documento foi assinado pelo ministro do Trabalho, Ronaldo Nogueira, que pediu exoneração do cargo e vai se desligar do governo – ele quer se dedicar à reeleição como deputado federal. Mais informações no G1.

Anúncio

Deixe uma resposta