(Foto: Reprodução/TV Vanguarda)
Anúncio

Suzane von Ricthtofen pode deixar a cadeia em breve, a defesa da detenta condena a 39 anos de prisão pela morte dos pais pleiteia a progressão para o regime aberto desde de junho do ano passado. De acordo com reportagem do G1, o Ministério Público do Estado de São Paulo emitiu parecer favorável para a progressão.

A Defensoria Pública, que faz a defesa de Suzane Richthofen, apontou que ela cumpriu o tempo de pena necessário para ter direito à progressão para o regime aberto – sendo um sexto da pena no semiaberto. Segundo o G1, Suzane foi submetida a uma avaliação por uma junta médica como parte do exame criminológico solicitado pelo Ministério Público. O julgamento do pedido de progressão de pena ainda não tem data para ser realizado.

Suzane está presa na penitenciária de Tremembé (SP) deste 2006, em setembro de 2015 ela progrediu para o regime semiaberto, com direito a até cinco saídas da prisão por ano, a última foi no Natal. No cálculo da Secretaria da Administração Penitenciária (SAP), o prazo para mudança de regime seria 4 de setembro de 2019, no entanto defesa solicitou o abatimento de 996 dias deste prazo, adquirido por meio do trabalho de costureira que a detenta exerceu na oficina no presídio. Antes, ela atuou na unidade como auxiliar de enfermaria e de copa.

O documento ainda destaca que a detenta obteve certificado da penitenciária por “ótimo comportamento carcerário”. Suzane diz que quer trabalhar e voltar a estudar. Uma confecção de Angatuba (SP), onde vive o namorado da detenta, ofereceu emprego para ela e, Suzane tenta desde 2016 ingressar no curso superior de administração de empresas.

No regime aberto, Suzane ficará livre da prisão, devendo comparecer na Justiça em datas pré-determinadas. De acordo com o G1, a defensoria pública não foi encontrada para falar sobre o assunto e o Ministério Público optou por não falar, já que o processo segue em segredo de Justiça.

Anúncio

Deixe uma resposta