Reprodução

Na Bahia devido ao calor intenso no verão, é desconfortável a vida de quem precisa trabalhar com trajes formais. Os advogados, porém, estão autorizados a abolir o uso de terno nesta época, como decidiu a Ordem dos Advogados do Brasil, sessão Bahia (OAB-BA).

Segundo a resolução, aprovada em 2015, é facultativo o uso de paletó, gravata e vestes talares aos advogados durante audiências e outros atos do exercício da profissão.

No entanto, a corregedora nacional de Justiça, Nancy Andrighi, emitiu um parecer em janeiro deste ano em que ressalta a importância do uso de boas vestimentas dentro do tribunal. “O advogado deve proceder de forma que o torne merecedor de respeito e que contribua para o prestígio da classe e da advocacia, devendo, assim, atuar com decoro. Todos os atores da cena judiciária devem adotar a postura de estarem convenientemente trajados e terem compostura e atitude compatível com o ambiente”, diz Nancy.

Anúncio

Deixe uma resposta