Muro construído em área pública foi derrubado pela Prefeitura de Guanambi
Anúncio

Tiago Marques | Agência Sertão

A Prefeitura de Guanambi derrubou o muro construído ilegalmente em um lote público, localizado no Centro Empresarial Belo Horizonte, no bairro Belo Horizonte. O terreno de 1200 m² seria doado para uma pessoa jurídica ligada ao senhor Adevilson Rodrigues Soares, proprietário de uma oficina mecânica na cidade. A demolição foi realizada na última semana por uma equipe da Secretaria de Obras, com o acompanhamento da Polícia Militar.

O projeto de Lei que previa a doação do terreno público tramitou na Câmara de Municipal de Guanambi, mas foi arquivado pelos vereadores após a denúncia da construção do muro antes mesmo da doação ser efetivada.

A demolição, segundo a prefeitura de Guanambi, atendeu a recomendação do Ministério Público do Estado (MP-BA). Um inquérito foi instaurado pelo MP-BA para apurar a doação e o uso de um veículo alugado pela prefeitura, de propriedade de Adevilson, que estaria sendo usado para fins particulares do ex-prefeito Charles Fernandes.

Além do veículo alugado pela prefeitura, o destinatário do terreno já havia sido contemplado com a doação de outra área em 2011, um terreno no bairro Sítio Vomitamel com área de 650 m², onde foi construída uma oficina mecânica, ele pleiteava uma área maior para ampliar a empresa. A prefeitura informou que não conseguiu apurar quem foi o responsável pela obra de construção do muro. O portão de ferro instalado no local foi removido para a Secretaria de Obras e será doado para alguma entidade filantrópica.

Prefeitura não conseguiu apurar quem foi o responsável pela obra do muro no terreno público. Imagens de outubro de 2017

Outro muro demolido

Segundo a assessoria de comunicação da prefeitura, uma outra murada, desta vez localizada no Bairro Sossego, que invadia a via pública, também foi demolida pela mesma equipe, a proprietária foi identificada e a Prefeita já tomou as devidas medidas.

No Bairro BNH, uma outra área, com mais de 700 metros quadrados, pertencente o Estado, foi invadida, e o trâmite de denuncia se encontra no Ministério Público para tomada de providências. Segundo informações da assessoria de comunicação, a área foi murada e o responsável foi localizado e identificado e está respondendo procedimento judicial. No local funcionava um depósito de gás.

 

Anúncio

Deixe uma resposta