Anúncio

Da Redação da Agência Sertão

A cheia do Riachão, afluente que da volume à barragem do Poço do Magro, atraiu pescadores para a região da ponte localizada próxima à divisa de Guanambi com Candiba. Os peixes da barragem aproveitam o fim da intermitência para subirem o rio e realizarem a desova.

A reprodução dos peixes no entanto é ameaçada pela pesca predatória no local. Devido à queda d’água, os peixes se concentram próximos à ponte, tentando chegar a pontos mais altos do rio para a reprodução.

Além de desrespeitarem o período da Piracema, os pescadores utilizam petrechos não permitidos, como tarrafas e redes. O período de defeso na bacia do rio São Francisco, começou no dia 1º de novembro de 2017 e vai até o próximo dia 28 de fevereiro. Dessa forma, fica proibido pescar na bacia e nos reservatórios, assim como vender o pescado.

A pesca irregular durante o defeso sujeita o infrator à perda do produto capturado, apreensão dos petrechos de pesca e multa de R$700 a R$100 mil, com acréscimo de R$20 por quilo do produto apreendido, além da aplicação das penalidades previstas na Lei de Crimes Ambientais.

Em nota, a Secretaria Municipal de Agricultura e Meio Ambiente informou que uma equipe de fiscalização esteve no Riachão, nesta terça-feira (6), fazendo um trabalho educativo com os pescadores e falando da importância de preservação no período da piracema.

Anúncio

Deixe uma resposta