Cães vagam pelas ruas de Guanambi - Foto: Agência Sertão
Anúncio

Joana Martins | Agência Sertão

A perspectiva nacional de abandono de animais assusta. A Organização Mundial da Saúde (OMS) calcula que no Brasil existem mais de 30 milhões de animais nas ruas das cidades. Destes, 20 milhões são cachorros. Nas capitais, a estimativa da OMS é de que para cada cinco moradores, existe um cão, e 10% destes animais estão abandonados. Em Guanambi, a população de cães não é contabilizada, mas é frequente a presença dos animais sem tutores vagando pelas ruas.

Abandono de animais pode gerar multa de até R$ 3 mil em alguns estados, como no caso de São Paulo, onde uma lei estadual estabelece penalidades. No entanto, na Bahia, não existe fiscalização ou leis que inibem essa ação. Assim, passa despercebido os maus tratos dos animais nas ruas e a responsabilidade de proporcionar uma qualidade de vida melhor para eles.

Além do sofrimento dos animais nas ruas, os cães, podem transmitir doenças, como raiva, leishmaniose e causar acidentes. Na cidade de Guanambi, além dos cães, é possível ver a presença de equinos e outros animais de grande porte soltos nas ruas e é corriqueiro os casos de acidentes nas rodovias da região. Em alguns casos, o departamento de trânsito faz apreensões.

Para o médico veterinário Diego Brito, um dos modos mais utilizados para tentar diminuir o número de cães vadios nas ruas é a castração, a fim de evitar a reprodução descontrolada. “Através da castração, principalmente das fêmeas, o números de reprodução de cães diminuem. Assim, aquela cachorra que tem cria de 8 à 8 meses, por exemplo, não terá mais”, explica Brito.

A prefeitura de Guanambi está construindo um  Centro de Controle de Natalidade Canina (CCNC) que prevê a  castração de 50 animais por mês, totalizando 600 ao ano, o que possibilita uma redução considerável em médio prazo. De acordo o assessor de comunicação da prefeitura, João Roberto, “o CCNC será gerido por um veterinário do quadro da Secretaria de Saúde. Os animais serão castrados, tratados, e os que tiveram doenças que não tem tratamento, deverão ser sacrificados dentro do protocolo do Ministério da Saúde”.

 Adoção

Umas outra alternativa para evitar os animais nas ruas é a adoção. A Unianjos é uma ONG, sem fins lucrativos que realiza um trabalho voluntário para o controle populacional e resgate à animais abandonados ou sob condições de riscos e maus tratos na cidade de Guanambi-BA. Segundo a coordenadora da ONG, Thamyllis Moraes, já foram resgatado mais de 5 mil animais, entre eles gatos e cães. “Nesses 4 anos nós resgatamos das ruas de Guanambi cerca de 2 mil animais diretamente, dentre eles, vários acidentados, doentes, filhotes , cadelas e gatas prenhas. Entretanto, intermediamos adoção para mais de 5 mil animais ao todo, pois além dos nossos resgatados, também encaminhamos adotantes a outros animais que viviam nas ruas e eram cuidados pela comunidade, ou que os tutores não queriam mais”, explica Moraes.

No entanto, ela relata as dificuldades presentes na ONG para cuidar dos animais e quando tratados, encontrar alguém disposto a adota-lós. “A maior dificuldade da Ong sempre foi com relação ao desfalque de pessoas na parte prática e organizacional. Como também,  a falta de um local físico, pois ainda não temos um local para acolher os animais e isso nos limita bastante”diz a coordenadora.

Anúncio

Deixe uma resposta