Reprodução

O ministro Benedito Gonçalves, do Superior Tribunal de Justiça (STJ), autorizou várias liberações para a Procuradoria-Geral da República (PGR) investigar Rui Costa, o governador da Bahia, e seu antecessor, Jaques Wagner.

Os dois políticos são suspeitos de receber dinheiro ilegal da Odebrecht. Segundo a coluna Expresso, da revista Época, entre as diligências autorizadas pelo ministro, a Superintendência da Polícia Federal na Bahia deverá interrogar Wagner e pessoas ligadas à empreiteira. O ministro determinou também que as contas eleitorais do atual governador relativas ao ano de 2014 sejam anexadas à apuração, que tramita sob sigilo.

No ano passado, em Salvador, os deputados estaduais opositores do PT  denunciaram á Polícia Civil  o caso, em seguida a acusação foi encaminhada ao STJ. Adversários de Rui Costa e Jaques Wagner desejam uma  apuração das suspeitas levantadas por delatores da Odebrecht de que a propina foi negociada em contrapartida à liberação de valores devidos à construtora pela Companhia de Engenharia Ambiental e Recursos Hídricos da Bahia (Cerb).

O saldo negativo da Cerb com Odebrecht era estimado em aproximadamente R$ 290 milhões. Wagner e o caixa eleitoral do governador Rui Costa nas eleições de 2014 foram beneficiários de repasses ilegais, apontaram executivos da empreiteira.

Anúncio

Deixe uma resposta