Reprodução

A diarista Edna Evangelista conseguiu enterrar seu filho, morto a tiros em Vitória da Conquista a mais de um mês. Após a repercussão do caso, o adolescente morto em 17 de fevereiro foi enterrado na tarde desta quinta-feira (22), no cemitério Kadija.

A mãe do adolescente disse que não conseguia enterrar seu filho porque não tem condições de bancar o enterro e a prefeitura de Vitória da Conquista estaria negando o auxílio funeral. “A assistente social ligou para a funerária que tem convênio com a prefeitura, e eles falaram que não poderiam liberar o caixão, porque a prefeitura não estava mais liberando o caixão. Suspenderam essa verba”, contou Edna, mãe do jovem.

A vice-prefeita de Vitória da Conquista e secretária municipal de Desenvolvimento Social, Irma Lemos (PTB) concedeu entrevista ao Blog do Rodrigo Ferraz onde disse que a prefeitura não teve culpa pela demora no enterro. “Até no momento não havia chegado ninguém pedindo caixão para essa situação. A coordenadora do Departamento de Polícia Técnica (DPT) disse que tem o corpo de um cidadão, que chegou lá dia 17 de fevereiro, sem documentação e na semana passada chegou uma senhora dizendo que era a mãe desse rapaz, só que ela só tem xerox da certidão de nascimento do jovem, não existe nem RG e CPF e com isso não pode liberar o corpo. A coordenadora do IML pediu o RG, mas não existe registro desse documento. O caixão está lá, pronto para sepultar o corpo assim que for liberado pelo IML.  Estamos no aguardo pedindo a Deus que essa mão consiga esse documento e essa alma descanse em paz”, disse.

Anúncio

Deixe uma resposta