Reprodução
Anúncio

O socialista Pedro Sánchez apresentou nesta quarta-feira (6) seu governo na Espanha, fortemente pró-Europa e o mais feminino da história do país, com 11 mulheres e seis homens.

Sánchez nomeou mulheres para ministérios importantes: a procuradora antiterrorista Dolores Delgado na Justiça, a porta-voz parlamentar Margarita Robles na Defesa, Magdalena Valerio no Trabalho, Reyes Maroto na Indústria e Isabel Celaá como titular da Educação e porta-voz do Executivo.

Mas, sobretudo, escolheu duas mulheres para comandar a equipe econômica de seu governo, que, segundo prometeu na semana passada, “terá como prioridade cumprir os compromissos europeus”, entre eles a redução do déficit público de 3,1% de 2017 para 2,2% em 2018.

A nova ministra da Economia é a tecnocrata Nadia Calviño, até agora diretora-geral de Orçamentos na Comissão Europeia e número dois da comissão alemão Günther Oettinger, com uma experiência de 12 anos em importantes cargos em Bruxelas.

Na Fazenda a titular é María Jesús Montero, que até então desempenhava esse posto no governo regional de Andaluzia. Nos últimos anos esteve a cargo de cumprir os cortes em gasto público ordenados por seu antecessor conservador, Cristóbal Montoro.

Em nome da “estabilidade”, Sánchez se comprometeu a governar o restante de 2018 com o orçamento elaborado pelo conservador Partido Popular e pendente de tramitação no Senado.

Entre as medidas-chave destacam-se um aumento de 1% a 3% das pensões mais modestas, aumentos salariais para os funcionários e a efetivação de milhares de interinos da função pública, a menos de um anos das eleições municipais, regionais e europeias, marcadas para maio de 2019.

Com informações da Carta Capital

Anúncio

Deixe uma resposta