Reprodução
Anúncio

Após ser conduzido por policiais nesta quinta-feira (7), para prestar esclarecimento na delegacia Territorial de Caetité, acusado de pedofilia, o pastor divulgou um áudio esclarecendo e negando as acusações.

No áudio divulgado pelo pastor, Gilmar Silva Porto, de 35 anos,  ele esclareceu que não foi preso como foi divulgado. De acordo com o pastor, ele estava no trabalho quando informado pelos policiais que havia um mandado de busca e apreensão para ser cumprido em sua residência.

“Acompanhei os policiais, mas em momento algum fui detido. Após ser cumprido o mandado em minha casa, prestei esclarecimento e fui liberado. Não fui preso em momento algum”, disse Gilmar.

Segundo informação da polícia, o pastor foi investigado durante 40 dias, após uma denúncia realizada por um homem residente na cidade de Taquara, no Rio Grande do Sul, o qual relatava que o sobrinho teria sido vítima do pastor. Conforme informações, o acusado utilizava perfis de redes sociais e aplicativos, para trocar mensagens e fotos com as vítimas, os quais são adolescentes de 13 a 17 anos.

Na delegacia, o pastor foi ouvido e liberado, segundo informação do delegado. Na residência foram encontrados, um veículo Fiat Palio, computadores, pen drives e cartões de memória contendo fotos e vídeos de meninos nus. Gilmar e todo material apreendido foram apresentados na Delegacia Territorial de Caetité, para adoção das medidas necessárias. Com informações do Folha do Vale.

Anúncio

Deixe uma resposta