Anúncio

A partir deste mês, as ligações para o Centro de Valorização da Vida (CVV), passam a ser de graça, em todo o país. O número de prevenção ao suicídio, 188, pode ser acionado por qualquer pessoa que passa por momentos de crise e precisa de apoio emocional.

A gratuidade das ligações vinham se expandindo pelo país desde o ano passado. Agora, os últimos estados que passam a ter o serviço de graça são Bahia, Maranhão, Pará e Paraná. Somente no ano passado, o Centro de Valorização da Vida recebeu 2 milhões de ligações de pessoas pedindo ajuda porque pensavam em tirar a própria vida.

Segundo o Ministério da Saúde, o número foi o dobro do registrado em 2016. Além do telefone 188, as pessoas podem buscar ajuda pela internet, no site cvv.org.br ou nos 87 postos de atendimento presencial.

Colabore

Se você gosta do conteúdo da Agência Sertão, colabore para o aprimoramento do nosso Jornalismo a partir de R$ 10 por mês e ganhe recompensas exclusivas, saiba mais!

O CVV é uma associação civil sem fins lucrativos que trabalha com prevenção ao suicídio. São 2.400 voluntários que atuam no serviço. Todos foram capacitados em curso específico. Qualquer pessoa pode ligar e todas as chamadas têm sigilo.

Os atendentes buscam abordar os cidadãos de forma acolhedora e segura para aliviar a ansiedade e o desespero de quem procura ajuda. Segundo o Ministério da Saúde, a média de suicídios no Brasil, por ano, é de 5,5 habitantes para cada 100 mil, o equivalente a 11mil pessoas. Mas os idosos são os que mais preocupam os órgãos de saúde. A taxa de suicídio nessa faixa etária vem crescendo, principalmente entre os homens e os solteiros.

um comentários

  1. Sou Voluntária do CVV Maringá, e neste momento atuo na mantenedora.
    Gostaria de solicitar a correção de um equivoco na matéria quanto ao “”””Todos são formados em psicologia””” . A informação é equivocada. O CVV não exige nenhuma formação prévia, não há necessidade de especialidade, qualquer pessoa maior de 18 anos (que passa ela capacitação do CVV) pode ser um voluntário. O CVV presta apoio humanitário e não tratamento especializado ( o tratamento de especifidade continua sendo uma necessidade e direto do cidadão, não é o CVV quem assume essa parte no voluntariado). Essa é uma confusão comum, por isso gostaria de solicitação a correção da informação.
    Obrigada.

Deixe uma resposta