Reprodução
Anúncio

Fiscais do ICMBio, o Instituto Brasileiro de Conservação da Biodiversidade, se preparam para utilizar drones na gestão e monitoramento de unidades de conservação, a partir de 2019. A equipe vai testar, pelos próximos meses, três modelos de veículo aéreo não tripulado.

Segundo o ICMBio, atualmente a suspeita de um acampamento de madeireiros ou garimpeiros, por exemplo, pode exigir até o fretamento de uma aeronave, o que gera altos custos e ainda alerta os criminosos.

Como o drone é silencioso e discreto é o equipamento ideal para operações desse tipo, principalmente, na Amazônia. Além disso, de acordo com o instituto, os drones podem pairar sobre incêndios florestais e enviar informações, em tempo real, que orientem as equipes no combate ao fogo. Eles também são úteis no cálculo do volume de madeira do desmatamento.

Colabore

Se você gosta do conteúdo da Agência Sertão, colabore para o aprimoramento do nosso Jornalismo a partir de R$ 10 por mês e ganhe recompensas exclusivas, saiba mais!

O ICMBio informou que a Reserva Biológica do Cachimbo e o Parque Nacional do Jamanxim, no Pará, devem ser as primeiras a receber capacitação e testes em campo.

Maísa Penetra da Rádio Agência Nacional

Deixe uma resposta