Reprodução
Anúncio

O presidente Michel Temer afirmou nessa segunda-feira (30) que o acordo sobre tabelamento do frete  deve sair em breve. A tabela que define o valor mínimo do frete para o transporte de cargas está suspensa porque, após a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) publicar uma norma com as novas regras, várias entidades entraram na Justiça contra a medida.

O setor empresarial e agrícola argumenta que será prejudicado pela tabela. Já  motoristas  de caminhões apostam na tabela como forma de garantir melhores tarifas nos transportes. A tabela mínima de frete é parte do acordo entre governo e caminhoneiros e colocou fim à greve da categoria, em  maio.

O relator desta disputa judicial no Supremo Tribunal Federal (STF) é o ministro Luiz Fux. Em junho, o ministro suspendeu todas as ações na Justiça que questionavam a medida provisória que trata do assunto e convocou audiência entre o governo e caminhoneiros para tentar chegar a um acordo.

No dia 11 de julho, o plenário da Câmara dos Deputados aprovou, por votação simbólica, a medida provisória que permite à ANTT definir um valor mínimo para o frete no transporte de cargas. A matéria ainda depende de apreciação do Senado. Pelo texto, fica instituída a Política Nacional de Pisos Mínimos do Transporte Rodoviário de Cargas e estabelecida a proibição de fechar qualquer acordo de fretes em valores inferiores aos aprovados.

Anúncio

Deixe uma resposta