Reprodução
Anúncio

O cantor Gilberto Gil foi ouvido como testemunha, na manhã desta quinta-feira (9), no caso em que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva é acusado de se beneficiar de reformas de empreiteiras num sítio em Atibaia, no interior de São Paulo.

Em depoimento ao juiz federal Sérgio Moro, o cantor integrou a lista de testemunhas de defesa na ação sobre o sítio.

Gil negou ter conhecimento de práticas de corrupção quando foi ministro da Cultura (2003-2008) no governo petista. Em um depoimento relativamente curto, que durou quase 10 minutos, o cantor respondeu as perguntas de forma objetiva, na maioria delas com “sim” ou “não”.

Esse é o terceiro processo em que Lula é réu no Paraná, onde já cumpre pena pela condenação no caso do tríplex do Guarujá.

Gilberto Gil negou ao ser perguntado pela defesa de Lula, sobre seu conhecimento a respeito de um esquema de corrupção descrito na denúncia do Ministério Público Federal (MPF) contra o ex-presidente em seus governos de (2002-2010) para desviar recursos públicos.

Gil foi questionado ainda por Moro sobre acusações de corrupção contra ex-ministros do governo Lula. Dentre eles – Antônio Palocci, José Dirceu e o marqueteiro João Santana.

O magistrado chegou a indagar se Gil tinha conhecimento que tanto Palocci, como Santana eram réus confessos na Lava-Jato na prática de crimes como – corrupção e lavagem de dinheiro. O cantor confirmou que tinha, mas apenas das notícias. “Tenho ouvido notícias a respeito desta possibilidade”, disse Gil.

Segundo o ex-ministro da Cultura, na época em que participou do governo petista não tinha conhecimento das irregularidades.

Anúncio

Deixe uma resposta