Geovane Santos | Agência Sertão
Anúncio

Geovane Santos | Agência Sertão

Nesta quarta-feira (12) o Campus da Universidade do Estado da Bahia (Uneb), em Guanambi recebeu a Feira de Base Agroecológica. A ação realizada em parceria com o Instituto Federal Baiano – Campus Guanambi faz parte da programação da XVIII Semana Acadêmica da instituição. O evento começou nesta terça-feira (11) e vai até quinta-feira (13).

A feira reuniu quatro agricultores e agricultoras familiares de municípios da região de Guanambi que estão em processo de transição para a produção de alimentos orgânicos. Os produtores são organizados pelo Núcleo de Estudos em Agroecologia e Produção Orgânica (Neapo) – projeto vinculado ao Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico – CNPq e ao IF Baiano.

No total, são sete produtores no território do Sertão Produtivo associados ao projeto. “São produtores que nos últimos três anos abandonaram o uso de agrotóxicos e adubos químicos em suas produções e adotaram o uso de materiais orgânicos para adubação e controle de pragas. Alguns desses produtores devem receber em breve a certificação da produção orgânica, o que vai agregar mais valor e confiabilidade aos produtos”, disse a professora Felizarda Bebé, coordenadora do Neapo.

Felizarda explica como ocorreu o processo de transição e preparação dos produtores. “Nós elaboramos um projeto de extensão e submetemos ao CNPq, realizamos vários cursos pelo território e identificamos agricultores com o perfil de produção orgânica”. A coordenadora destaca que a produção orgânica não se limita apenas a restrição de agrotóxicos, mas inclui – ampla biodiversidade, proteção da mulher, proteção dos recursos hídricos e preservação dos saberes tradicionais.

William Rodrigues, produtor agroecológico, fala da relevância das parcerias. “Essa parceria foi muito importante. Apesar de já possuir o manejo com a produção, os cursos possibilitaram um aprendizado na técnica – como cuidar do meio ambiente, adubação orgânica que é superior a química e controle de praga. Tudo isso aprendemos nos cursos e estamos aprimorando”.

A feira foi aberta à visitação pública e contou ainda com a barraca de campanha contra os agrotóxicos. Na barraca, a estudante de agronomia do IF baiano, Brisa Lima informava ao público os danos causados pelos agrotóxicos.

Nas barracas dos produtos agroecológicos estavam disponíveis – alface verde e roxa, acelga, salsinha, aipo, cheiro verde, cebola branca, rúcula, espinafre, tempero, abóbora, entre outros.

Anúncio

Deixe uma resposta