Reprodução
Anúncio

Joana Martins | Agência Sertão

Um jovem de prenome Jaelson afirmou que foi agredido com bainha de facão pelo vereador Homero de Oliveira Castro (PSD), no distrito de Morrinhos, em Guanambi. Segundo populares, a vitima é portadora de problemas mentais, inimputável. Os golpes não cortaram a vitima, entretanto, vários hematomas ficaram pelo corpo. A agressão aconteceu no último domingo (30).

Foto tirada após 3h que o rapaz foi agredido (Reprodução)

Na manhã desta terça-feira (02), após sites de notícias divulgarem o fato, o politico emitiu uma nota confirmando a confusão e explicando a situação. Na nota, Homero justifica que precisou usar da força para conter o rapaz e se defender das ameaças. “O vereador lamenta o ocorrido, pois vem há meses se esquivando das perseguições feitas, e que no último domingo, lamentavelmente teve o seu ápice, onde o sujeito, mais uma vez o abordou em via pública e afirmou que iria na casa do vereador matar os seus netos. Homero afirma que ainda tentou o diálogo com o individuo, mas não conseguiu contê-lo, que foi em direção a sua residência, sendo obrigado a aplicar o uso da força, para conter o ímpeto odioso do rapaz” , explica o vereador na nota.

Populares afirmam que além do vereador,  o seu assessor também agrediu o jovem. No entanto, o fato não foi dito na nota e até o momento nenhum denúncia chegou a Delegacia Territórial de Guanambi. Caso seja feito um boletim de ocorrência, a Policia Civil irá investigar o caso.

Confira a nota na íntegra:

O vereador Homero Castro vem a público esclarecer fato ocorrido no último domingo (30), no Distrito de Morrinhos, onde teve a sua família fortemente ameaçada de morte, além de ataques feitos a honra de sua esposa e filha, por um elemento, de nome Joelson, que há meses vem o perseguindo pelas ruas do distrito, a mando de pessoas de um grupo político.

O vereador lamenta o ocorrido, pois vem há meses se esquivando das perseguições feitas, e que no último domingo, lamentavelmente teve o seu ápice, onde o sujeito, mais uma vez o abordou em via pública e afirmou que iria na casa do vereador matar os seus netos, o que levou o mesmo a se desesperar. Homero afirma que ainda tentou o diálogo com o individuo, mas não conseguiu conter o mesmo, que foi em direção a sua residência, sendo obrigado a aplicar o uso da força, para conter o ímpeto odioso do indivíduo.

O vereador afirma que qualquer cidadão de bem, vendo a sua família ameaçada de morte, tomaria a atitude que o mesmo tomou, pois toda a comunidade de Morrinhos é testemunha das perseguições realizadas pelo indivíduo contra a sua honra e de sua família, onde o mesmo, em locais públicos, praças, na frente da igreja e aglomerações, profere os mais terríveis absurdos morais contra os seus familiares, fato amplamente testemunhado pela comunidade local e também pelos familiares do acusador, que se propuseram, inclusive, a testemunhar a favor de Homero Castro.

Segundo Homero, é deprimente que este tipo de conduta das mais rasteiras e sórdidas ainda seja utilizada como estratégia baixa e mesquinha, para atacar a honra de uma família digna e trabalhadora, que contribui para o progresso de Morrinhos e de um vereador democraticamente eleito por ampla maioria da vontade popular. Homero ainda ratifica que para preservar a sua honra, a segurança dele e de sua família, e para evitar que fatos como esse ocorra novamente, irá tomar as devidas providências legais, contra o indivíduo.

Anúncio

Deixe uma resposta