Foto: João Miguel | Folha do Vale
Anúncio

Geovane Santos | Agência Sertão

Os delegados Clécio Magalhães e Giancarlo Giovani Soares, da Coordenadoria de Polícia do Interior 22º Coorpin, reuniram com profissionais da imprensa de Guanambi, na tarde desta quinta-feira (4), com o objetivo de esclarecer boatos de um suposto “Cadeirudo”, que estaria atacando mulheres na cidade.

Clécio Magalhães inicia as ponderações afirmando que alguns sites da região tem divulgado matérias de forma inapropriada, ocorrências  que interferem no sigilo das investigações. Para ele, a notícia dando ênfase ao nome “Cadeirudo”, referindo aos casos de estupros que foram divulgados, repercutiu negativamente.

Giancarlo falou do pânico que a notícia divulgada de forma inadequada pode ocasionar. “Eu tenho receio dos desdobramentos da matéria do novo Cadeirudo. Eu não conhecia a história, mas quando conheci, percebi os estragos causados por ele. Eu tenho tranquilidade, porque não partiu da polícia. Não vamos ficar de braços cruzados, as investigações estão caminhando bem e vamos resolver o caso”, afirma.

Giancarlo pontua ainda que os meios de comunicação precisam ter cuidado. “A imprensa é parceira da polícia, esse tipo de notícia sem checar tem consequências graves. Estamos aqui reafirmando o empenho da Polícia Civil, e vamos prender esse criminoso”, afirmou Giancarlo.

Na quarta-feira (3) o comandante do 17º Batalhão de Polícia Militar, Tenente Coronel Arthur Mascarenhas, também já havia tranquilizado a população, através de uma reunião com os profissionais da imprensa de Guanambi. Na ocasião, o comandante reiterou que existe um trabalho em conjunto sendo realizado pelas polícias Militar e Civil.

Mascarenhas desmentiu os boatos do suposto “cadeirudo” e advertiu que esse tipo de divulgação sem checar cria um clima de insegurança na cidade.

Anúncio

Deixe uma resposta