Reprodução

Tiago Marques | Agência Sertão

Em decisão proferida na última sexta (5) e publicada na noite desde domingo (7), o juiz Diego Luiz Lima de Castro, do Tribunal Regional Eleitora da Bahia (TRE-BA), concedeu uma tutela de urgência em favor do ex-prefeito de Guanambi Charles Fernandes, suspendendo os efeitos da decisão que o tornou inelegível por abuso de poder político.

Charles Fernandes recebeu mais de 74 mil votos nas eleições deste domingo, ficando como primeiro suplente da coligação pela qual concorreu. Ele conseguiu o registro de sua candidatura antes da decisão de sua inelegibilidade. Caso a suspensão dos efeitos do Acordão que o tornou inelegível com base na lei de elegibilidade (Lei da Ficha Limpa) não seja revista, Charles poderá ser diplomado como suplente e até assumir uma cadeira na Câmara Federal caso algum dos 23 deputados eleitos de sua coligação se afaste para assumir algum cargo, como de secretário de Estado por exemplo.

Colabore

Se você gosta do conteúdo da Agência Sertão, colabore para o aprimoramento do nosso Jornalismo a partir de R$ 10 por mês e ganhe recompensas exclusivas, saiba mais!

A defesa de Charles Fernandes alegou ao TRE-BA que a decisão que confirmou a sentença da Justiça Eleitoral de Guanambi possuía vícios, como a não observância de decisão da Justiça Comum Estadual que considerou a legalidade das contratações temporárias realizadas por seu mandato a frente da prefeitura de Guanambi, entre outras alegações. Charles Fernandes foi considerado inelegível por ter cometido abuso de poder político ao contratar cerca de 1000 servidores temporários para a prefeitura de Guanambi em ano eleitoral, além de ter procedido contratações e demissões em período vedado.

A decisão desde fim de semana também suspendeu provisoriamente o pagamento de multa no valor de R$ 50 mil Ufirs (Unidade Fiscal de Referência). A suspensão vale até o julgamento dos embargos declaratórios.

A decisão na íntegra pode ser consultada no TRE-BA

Deixe uma resposta