Reprodução TV Clipe

Geovane Santos | Agência Sertão

Em decisão publicada na última quinta-feira (11), o juiz de direito da Comarca de Guanambi, João Batista Pereira Pinto, determinou que a Liga Desportiva Guanambiense (LDG) promova a suspensão imediata das partidas do Campeonato Municipal de Futebol de Campo Amador de Guanambi – Edição 2018.

As partidas, das quartas de final, seriam realizadas no último final de semana, no Estádio Dois de Julho, no referido município. Segundo o presidente da LDG, Isaías Silva, a liga tem o tribunal desportivo que juga as causas inerentes ao campeonato municipal. No último dia 26 de setembro, o Tribunal de Justiça da LDG foi convocado para julgar o pedido do Esporte Clube Bahia de Guanambi e julgou improcedente, por unanimidade, o recurso do Clube, por 3 votos a 0. Após a LDG ter negado, o Clube entrou com pedido na Justiça Comum em busca de um efeito suspensivo do campeonato municipal, que foi aceito pelo juiz.

Colabore

Se você gosta do conteúdo da Agência Sertão, colabore para o aprimoramento do nosso Jornalismo a partir de R$ 10 por mês e ganhe recompensas exclusivas, saiba mais!

O presidente da LDG entende que o processo deveria passar, a priori, pelos tribunais desportivos, e só depois de esgotados os recursos, pela justiça comum. “Pelo que eu entendo, primeiro deveria passar pelos tribunais desportivos, ou seja, primeira instância a liga, segunda instância Federação Baiana de Futebol, e terceira instância seria a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) e esgotando essas instância, ai sim, seria a justiça comum, mas tudo bem, eles tem o direito de entrar na justiça comum”, Avalia Isaías.

No pedido de tutela provisória de urgência, o Bahia alega que no decorrer da competição, iniciada no dia 12 de agosto, foi verificado irregularidades no CNPJ do Ipiranga Esporte Clube, o que, segundo o autor “inviabilizaria a participação da equipe no campeonato”, com base no artigo 41 do regulamento da competição, que veta a participação de agremiações que estejam com o CNPJ irregular/baixado no Campeonato Municipal.

No relatório, o Bahia argumenta ainda que o CNPJ do Ipiranga só foi regularizado após a terceira rodada, justamente a partida contra o Bahia, ocorrida no dia 9 de setembro.

“Eu acatei um documento, um protocolo que veio da Receita Federal carimbado de boa fé, até por que esse protocolo tinha a prerrogativa que estava sendo regularizado o CNPJ do Ipiranga, para o clube continuar disputando”, pontua o presidente da LDG.

Na Decisão Interlocutória, o magistrado determinou a intimação da Liga, através de seu representante legal, para que suspenda a competição no prazo de 24h, sob pena de multa diária no valor de R$ 1.000,00 podendo chegar a, no máximo, R$ 90.000,00.

O campeonato permanece parado por mais um fim de semana. Na sede da liga, encontra-se um comunicado assinado pelo presidente no dia 12 de outubro, informando a suspensão do campeonato municipal, tendo em vista a Decisão Interlocutória.

“Em face dessa decisão, na sexta-feira (12) eu fui notificado, no sábado eu expedi os ofícios para os clubes suspendendo o campeonato, porque eu tenho que cumprir a norma judicial, mas no que depender da liga eu estou fazendo de tudo para resolver essa situação e não esperar essa audiência de conciliação para dezembro. Então eu estou fazendo de tudo para que tenha uma conciliação entre as partes para resolvermos a situação e retornar a segunda fase do campeonato municipal”, Explica Isaías.

Se a LDG e o Esporte Clube Bahia não se conciliarem de forma espontânea, a audiência de conciliação diante do juiz está marcada para o dia 17 de dezembro, isso pode incorrer na paralisação do campeonato por tempo indeterminado.

O presidente do Esporte Clube Bahia, Josemar Teixeira Silva, alega que o clube quer apenas o cumprimento do regulamento. “Nosso pedido é que o regulamento seja cumprido, com base no artigo 41, se for o Bahia a entrar na vaga, se o Bahia tem ponto suficiente para isso, que entre o Bahia”, avalia.

O presidente da liga explica que até a próxima segunda-feira vai tornar pública a decisão mais viável possível. “Eu estou procurando resolver primeiro internamente, ouvindo minha diretoria e os clubes que estão fazendo parte do campeonato em assembleia geral e vou procurar o Bahia quando estiver formalizado”, afirma.

Confira a Decisão Interlocutória e o comunicado da LDG:

Deixe uma resposta