Reprodução
Anúncio

A secretaria de Saúde de Carinhanha atualizou os dados de casos de Leishmaniose em humanos nesta quarta-feira (31). Já foram 7 casos detectados  e uma morte confirmada de casos de leishmaniose no município no ano de 2018.

Os trabalhos de diagnósticos da doença foram intensificados na cidade. Segundo o relatório da secretária, no total foram 2.258 casas visitadas entre julho e outubro deste ano, das quais 729 tinham cães.

Reprodução/ Folha do Vale

Contabilizadas todas as residencias com cães,  foram realizados 953 testes rápidos para diagnóstico da doença, dos quais, possibilitaram concluir  que 290 cães são suspeitos de possuírem a doença e 664 estão livres da contaminação. A prefeitura também realizou cinco  pesquisas entomológica e três borrifações.

Reprodução/ Folha do Vale

Comparado aos últimos anos, os casos de leishmaniose em humanos subiram significativamente em Carinhanha. Em 2016,  foram diagnosticados quatro casos,  e em 2017 apenas um, ou seja, entre um paralelo de 2016 à 2018, atualmente houve um aumento de 57,15%. Correlacionado ao cenário atual e de 2017, até o momento, os casos detectados são 70% a mais.

A Leishmaniose Visceral é conhecida popularmente como Calazar. Ela é causada pelo protozoário parasita Leishmania, que é transmitida pela picada de mosquitos-palha infectados. A doença pode afetar além de cachorros, outros animais e pessoas.

Saiba mais: Cães e gatos são vítimas de Calazar, saiba como evitar a transmissão da doença

Anúncio

Deixe uma resposta