Reprodução
Anúncio

Após ser conduzido por policiais nesta quinta-feira (7), para prestar esclarecimento na delegacia Territorial de Caetité, acusado de pedofilia, o pastor divulgou um áudio esclarecendo e negando as acusações.

No áudio divulgado pelo pastor, Gilmar Silva Porto, de 35 anos,  ele esclareceu que não foi preso como foi divulgado. De acordo com o pastor, ele estava no trabalho quando informado pelos policiais que havia um mandado de busca e apreensão para ser cumprido em sua residência.

“Acompanhei os policiais, mas em momento algum fui detido. Após ser cumprido o mandado em minha casa, prestei esclarecimento e fui liberado. Não fui preso em momento algum”, disse Gilmar.

Segundo informação da polícia, o pastor foi investigado durante 40 dias, após uma denúncia realizada por um homem residente na cidade de Taquara, no Rio Grande do Sul, o qual relatava que o sobrinho teria sido vítima do pastor. Conforme informações, o acusado utilizava perfis de redes sociais e aplicativos, para trocar mensagens e fotos com as vítimas, os quais são adolescentes de 13 a 17 anos.

Na delegacia, o pastor foi ouvido e liberado, segundo informação do delegado. Na residência foram encontrados, um veículo Fiat Palio, computadores, pen drives e cartões de memória contendo fotos e vídeos de meninos nus. Gilmar e todo material apreendido foram apresentados na Delegacia Territorial de Caetité, para adoção das medidas necessárias. Com informações do Folha do Vale.

Se você gosta do conteúdo da Agência Sertão, colabore para o aprimoramento do nosso Jornalismo a partir de R$ 10 por mês e seja um assinante - Saiba como!

 

Responder

Por favor, escreva seu comentário
Digite seu nome aqui