O Instituto Federal Baiano – Campus Guanambi (IF-Baiano) e o Serviço de Apoio a Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) realizarão o I Seminário Regional de Fruticultura – Sertão Produtivo.

A programação se desenvolverá no auditório do IF-Baiano, em Ceraíma – distrito de Guanambi, na próxima quarta-feira (6), das 7h30 às 16h. As inscrições poderão ser feitas por meio da Loja Virtual do Sebrae. Mais informações pelo Whatsapp do IF-Baiano (77) 99979-3978.

Durante a programação serão ministradas as seguintes palestras – Manejos em cultivos irrigados de Manga para alta produtividade, com Eduardo Ferraz (Sebrae); Tratos culturais do Maracujazeiro, com Dr. Alessandro Arantes (IF-Baiano); Bananeira no Semiárido, com Dr. Sergio Donato (IF-Baiano); Manejo de Irrigação em Fruteiras, com Dr. Marcelo Rocha (IF-Baiano) e Rastreabilidade de Frutas e Hortaliças, com Dra. Felizarda Bebé (IF-Baiano).

O Seminário Regional de Fruticultura está sendo promovido em um momento propício para o fomento da agricultura nesse âmbito. O cenário vem se mostrando muito promissor, desde a implantação do novo sistema de irrigação de Ceraíma. O Perímetro Irrigado, como ficou conhecido, foi inaugurado no dia 2 de agosto com a recuperação de 112 lotes agrícolas.

Desde 2008, o projeto de irrigação foi suspenso e a agricultura familiar esteve paralizada por esse período. A época, segundo o site L12 Sudoeste, o perímetro guanambiense chegou a exportar 689 toneladas de manga para vários estados do Brasil.

A perspectiva com o novo sistema é de uma produção muito maior no auge da atividade do perímetro. Novas variedades e tecnologia avançada abrem a perspectiva de produzir mais em áreas menores com menor tempo.

Segundo a Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf), a atividade agrícola do projeto de Ceraíma, especialmente a fruticultura, é fundamental para a região de Guanambi e a expectativa é que os agricultores voltem a produzir cerca de quatro mil toneladas de frutas por ano.

Além disso, a Codevasf avalia que com a reestruturação do projeto, os agricultores familiares deverão priorizar a fruticultura, com o plantio de culturas menos consumidoras de água, como manga, anonáceas, uva e culturas anuais diversas.

O entusiasmo dos colonos já pode ser comprovado com os investimentos que já foram feitos: segundo levantamento da Cooperativa Agrícola de Irrigação do Projeto Ceraíma (Cooperc), aproximadamente 115 hectares já foram plantados e estão sendo irrigados pelo novo sistema.

Outras políticas públicas estão sendo implantadas para dar assistência aos trabalhadores. Cerca de 675 agricultores dos perímetros irrigados de Ceraíma, em Guanambi e do Estreito, em Urandi serão beneficiados com assistência técnica rural do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar).