Início Destaques PM apreendeu veículos pelo uso de som no distrito de Ceraíma

PM apreendeu veículos pelo uso de som no distrito de Ceraíma

Veículos apreendidos
Divulgação I Ascom PMG

A Polícia Militar (PM) e a Vigilância Sanitária de Guanambi realizaram ações de fiscalização em Ceraíma, na noite deste domingo (16).

De Acordo com a Assessoria de Comunicação (Ascom) da Prefeitura, a maioria dos bares do distrito foram notificados. Além disso, vários veículos foram guinchados pela PM, devido o uso de som, o que é proibido pelo decreto municipal de combate à Covid-19.

Ainda conforme a Ascom, a operação seguirá sendo feita diariamente nos distritos e os bares poderão ter licença de funcionamento cassada pela Vigilância Sanitária.

Neste final de semana, duas festas com mais de 100 pessoas foram interrompidas. A prefeitura ressalta que a população pode colaborar denunciando aglomerações, festas clandestinas e o descumprimento dos decretos municipais, ligando para a Polícia Militar no 190, ou para a Vigilância Sanitária em horário comercial de segunda à sexta no 3451-4261 ou no plantão nos finais de semana: 9 9961-4362 ou 9 9976-2072. A identidade do denunciante será preservada.

A apuração de festas clandestinas em residências é feita pela Polícia Militar e festas clandestinas em estabelecimentos é apurada pela Vigilância Sanitária em parceria com a PM.

Casos

Mais um paciente infectado pelo coronavírus morreu neste sábado (15), de acordo com a Secretaria Municipal de Guanambi. A vítima foi uma mulher de 87 anos, portadora de comorbidades (Diabetes Mellitus, Acidente Vascular Cerebral, Leucemia Linfática Crônica e Hipotireoidismo). O total de óbitos relacionados à doença chegou a 75, nove apenas em maio.

Mais 23 casos da doença foram confirmados em Guanambi nesta domingo (16). Agora são 6.967 confirmações, com 262 casos ainda ativos e 292 pacientes com suspeita da doença aguardando o resultado do exame laboratorial. O acumulado de casos na semana é de 309, o maior desde meados de abril.

Neste sábado (15), completou-se um ano dos primeiros registros da doença em Guanambi.

SEM COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta

Sair da versão mobile