Início Destaques Primeiro pico da Covid-19 em Guanambi ocorreu após o São João de...

Primeiro pico da Covid-19 em Guanambi ocorreu após o São João de 2020

Imagem Ilustrativa | Reprodução

Pelo segundo ano consecutivo, as celebrações dos festejos juninos foram canceladas por conta da pandemia do coronavírus, assim como em 2020.

Mesmo assim, é grande a preocupação das autoridades sanitárias com os festas por conta das reuniões privadas, principalmente na noite do dia 23, quando tradicionalmente ocorrem as reuniões familiares para celebrar o São João, a festa mais importante da região Nordeste do país.

E o receio não ocorre por acaso , foi pouco depois dos festejos de 2020 que Guanambi registrou o primeiro pico de casos da Covid-19. No mês julho, o número de casos dobrou, saindo de 91 para 182. Em maio, quando surgiram os primeiros casos, foram 45 registros, e em junho, mais 46.

Naquela época era imaginável que se chegasse aos números de hoje. No dia 21 de junho, na antevéspera dos festejos, eram 88 casos confirmados, com apenas 10 ativos e 4 suspeitos. Na ocasião não havia pacientes internados e ainda não tinha registro de óbitos, o que só foi ocorrer em 22 de agosto. Um mês depois do São João, no dia 24 de julho, quando o número de casos ativos chegou a 46, a prefeitura decretou o fechamento do comércio na cidade pela terceira vez.

Em um ano, o número total de casos aumentou quase 105 vezes. Já o número de casos ativos é 47,5 vezes maior e a quantidade de casos suspeitos representa 55 vezes o número de um ano atrás.

A semana epidemiológica começou com mais 71 casos confirmados da Covid-19 no município, elevando o total de registros a 9.214. Deste total, 8.641 sobreviveram ao vírus e 475 continuam em tratamento. Ainda restam 222 pacientes com suspeita da doença aguardando os resultados dos exames laboratoriais.

Com os registros deste domingo, a média móvel diária de casos voltou ao maior patamar já registrado, 73,9, o mesmo registrado no sábado (12).

Na semana finalizada neste sábado (19), foram 479 casos, diminuição de 7,5% em relação ao registrado na semana anterior, com 518 casos, a maior marca desde o início da pandemia. Na última quinta-feira (17), foi registrado o recorde diário de casos, 129 no total.

 

 

 

 

 

 

 

 

SEM COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta

Sair da versão mobile