Início Bahia Guanambi realiza Projeto Glaucoma nos dias 6 e 7 de agosto

Guanambi realiza Projeto Glaucoma nos dias 6 e 7 de agosto

Ascom da Prefeitura de Guanambi | Reprodução

Acontecerá em Guanambi, no próximo dia 6 e 7 de agosto, mais uma versão do Projeto Glaucoma. Estão previstos 675 atendimentos nos dois dias, sendo 325 vagas para revisão e outros 350 para consultas de triagem.

O projeto é realizado pela Secretaria Municipal de Saúde de Guanambi, no 1º Centro de Saúde. Segundo a ascom da prefeitura, na sexta-feira (06), os pacientes passarão por consulta médica e em seguida receberão os devidos colírios para tratamento.

Já no segundo dia, a partir das 06h30, serão distribuídas 350 senhas para triagem de novos pacientes. Aqueles que forem diagnosticados com glaucoma também receberão os colírios para tratamento de três meses.

Vale destacar que esses novos pacientes são encaminhados diretamente pelas equipes de Estratégia de Saúde da Família (ESF). Sendo assim, o agendamento não será feito no dia, mas de forma antecipada. Para quem deseja ter acesso a consulta oftalmológica, é válido procurar a Unidade Básica de Saúde (UBS) mais próxima para fazer o agendamento.

Documentação

No dia 07 de agosto, é necessário que os novos pacientes apresentem a cópia dos seguintes documentos:

– RG (frente e verso)

– Cartão do SUS

– Comprovante de residência (pode ser com endereço de um familiar).

Quem estiver retornando, não é necessário levar as cópias, apenas cartão do SUS e RG, a caráter de identificação.

Continuidade do projeto

A secretária de saúde, Dra. Roberta, garante que o projeto dará continuidade durante a gestão de Nilo Coelho. “O Projeto Glaucoma não vai parar, a cada três meses iremos oferecê-lo à população de Guanambi. A pandemia da Covid-19 nos traz muitas dificuldades e desafios, mas buscamos sempre traçar boas estratégias para atingir o público que necessita desse tipo de atendimento e tratamento de glaucoma”.

Dona Rita, de 66 anos, disse que a última vez que passou por atendimento pelo SUS foi em 2016 e que de lá para cá precisava pagar as consultas e os colírios. “Eu fui no médico pela prefeitura em 2016 e depois tinha que ficar pagando particular e pagando o colírio que custa uns R$ 300,00 reais cada um, graças a Deus agora tem aqui”, concluiu a moradora de Ceraíma.

SEM COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta

Sair da versão mobile