Início Bahia Conquista e Região Após oito dias das mortes em Anagé, ciganos foram enterrados em Vitória...

Após oito dias das mortes em Anagé, ciganos foram enterrados em Vitória da Conquista

cemitério de Vitória da Conquista
Imagem Ilustrativa | Cemitério na cidade de Vitória da Conquista | Reprodução

Os corpos de quatro suspeitos de envolvimento nas mortes de dois policiais militares em Vitória da Conquista foram enterrados nesta sexta-feira (6). Segundo informações do Instituto Cigano do Brasil (ICB), a mãe deles e as esposas acompanharam o velório e o enterro através de uma videochamada.

A Polícia Militar afirma que as mortes ocorreram após confronto com os policiais que tentavam prender os suspeitos, pertencentes a uma família de etnia cigana. Ao todo, oito irmãos foram mortos após o crime contra o policial.

Três deles morreram no dia 28 de junho e o quarto no dia 30, ambos na zona rural do município de Anagé. De acordo com a polícia, as mortes ocorreram após os ciganos entrarem em confronto com os policiais que tentavam prendê-los.

Segundo o G1, os quatro membros da mesma família foram enterrados no Cemitério Municipal de Vitória da Conquista, o mesmo em que outros quatro irmãos foram sepultados.

De acordo com o presidente do ICB, Rogério Ribeiro, os corpos dos três homens e um adolescente ainda não tinham sido enterrados, pois a família ainda não havia feito o reconhecimento no Instituto Médico Legal (IML). O pai deles está preso e a mãe em um projeto de proteção do ICB.

O enterro foi feito após a mãe dos mortos assinar um documento que autorizava a funerária a realizar o procedimento sem a presença da família. As questões burocráticas para que isso acontecesse foram realizadas pelo ICB e pela Defensoria Pública de Vitória da Conquista.

O caso

O tenente Luciano Libarino Neves, de 34 anos, e o soldado Robson Brito de Matos, de 30 anos foram mortos a tiros no dia 13 de julho, no distrito de José Gonçalves. As armas e os telefones celulares foram roubados pelos suspeitos e recuperados pela PM nos dias seguintes.

Na mesma semana do crime, o Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA) expediu mandado de prisão contra todos os suspeitos. Na ocasião, três adultos e um adolescente já havia sido mortos. Os adultos morreram em confronto com a polícia e o adolescente foi baleado em uma farmácia no Centro de Vitória da Conquista e morreu no hospital.

Depois do crime, a família alega que passou a ser perseguida por policiais. Oito irmãos, todos ciganos, foram mortos, sendo dois deles adolescentes de 13 e 17 anos. O pai dos oito irmãos está preso, após também ter sido baleado por miliares. Ele também é suspeito de matar os dois policiais.

Da esquerda para a direita, na primeira fileira: Dalvan, Solon, Morais e Bruno; na fileira de baixo, no mesmo sentido: Lindomar, Ramon, Arlan e Marlon. Os oito são irmãos e foram mortos | Fotos: Reprodução / Redes sociais

Na última quarta-feira (4), o presidente do ICB, Rogério Ribeiro, procurou o G1 e divulgou o áudio da mãe dos oito mortos. Na gravação, a mulher – que não foi identificada por medo de represálias – pede ao filho que continua foragido para se entregar à polícia.

SEM COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta

Sair da versão mobile