Foto: Aduneb
Foto: Aduneb

Os professores da Universidade do Estado da Bahia (Uneb) aprovaram em assembleia geral da Aduneb, nesta terça-feira (31), o estado de greve no campus I – Salvador. Uma ação conjunta entre os professores da Uneb, Uefs (Universidade Estadual de Feira de Santana), Uesb (Universidade Estadual do Sudoeste Baiano) e Uesc (Universidade Estadual de Santa Cruz) aprovaram o estado de greve nas universidades estaduais da Bahia. As quatro assembleias de professores deliberaram ainda uma paralisação de atividades, a portões fechados, no próximo dia 8 de abril. Neste dia, a comunidade acadêmica deve fazer ato público no Centro Administrativo da Bahia (CAB), a partir das 9h. A pauta de reivindicações 2015 foi protocolada pelos professores em 9 de dezembro e reafirmada em 28 de janeiro. Entre os itens de reivindicação estão a ampliação do quadro de vagas e desvinculação das classes, respeito aos direitos trabalhistas dos docentes e aumento dos incentivos do Estatuto do Magistério Superior. Dos seis itens da pauta, cinco estão diretamente relacionados à reivindicação por maior repasse orçamentário do estado. Desde 2011, os professores reivindicam pelo menos 7% da Receita Líquida de Impostos para suprir as demandas de ensino, pesquisa e extensão. De acordo com a diretoria da Aduneb, o estado de greve é um “sinal amarelo” e caso o governador não sente para negociar com o movimento docente, a tendência é que nas próximas semanas seja deflagrada greve por tempo indeterminado.

Pauta 2015
1. Revogação da lei 7176/97;
2. Por, no mínimo, de 7% da RLI para as Ueba;
3. Pela ampliação do quadro de vagas e desvinculação das classes;
4. Pelo respeito aos direitos trabalhistas dos docentes;
5. Pelo aumento dos incentivos do Estatuto do Magistério Superior;
6. Pelo reajuste linear com reposição integral da inflação.

Responder

Por favor, escreva seu comentário
Digite seu nome aqui