20.5 C
Guanambi
18.4 C
Vitória da Conquista

Após morte de menino de 10 anos, moradores do Complexo do Alemão protestam contra violência

Mais Lidas

Agência Brasil
Agência Brasil

Moradores do Complexo do Alemão, na zona norte do Rio, voltaram a protestar contra a violência no conjunto de favelas neste sábado (4), após a morte do estudante Eduardo de Jesus Ferreira, de 10 anos, e outras três pessoas em tiroteios nos últimos dias. Mototaxistas lideraram uma marcha pela Estrada do Itararé, uma das principais avenidas do complexo, em direção à Praça de Inhaúma. Durante o ato, que reuniu centenas de moradores, a mãe do garoto, Terezinha Maria de Jesus, se revoltou com a presença de policiais militares. Terezinha precisou ser amparada por parentes e amigos, após avançar em direção a uma viatura que acompanhava o trajeto dos manifestantes. Ela gritava contra os policiais, chamando-os de assassinos. Após a manifestação, os pais de Eduardo foram recebidos pela secretária estadual de Assistência Social e Direitos Humanos, Teresa Cosentino. O governo do Rio decidiu arcar com os custos de traslado do corpo para o Piauí, onde será enterrado no município de Corrente. A família também acompanhará o traslado, no domingo às 11h15. No Complexo do Alemão, a manifestação terminou por volta das 14h, sem confrontos, após percorrer diversas ruas do conjunto de favelas. Os moradores vestiam roupas brancas e distribuíram balões para reivindicar o fim da violência nas favelas, após noventa dias de tiroteios e confrontos. Em carros de som e nos cartazes, os manifestantes gritavam “Fora UPP” e vaiavam as equipes policiais que acompanharam o protesto, organizado por associações de moradores, lideranças locais, coletivos culturais e organizações comunitárias. Na tarde de sexta (3), policiais militares e manifestantes entraram em confronto na Itararé, principal acesso ao Alemão. Cerca de 300 pessoas chegaram a interditar o trânsito, na tentativa de chegar à sede da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) do Alemão. Os PMs usaram bombas de gás e spray de pimenta para dispersar a manifestação.

Notícias Relacionadas

Deixe uma resposta

Últimas