[soundcloud url=”https://api.soundcloud.com/tracks/199539941″]

Olá, caro amigo.

Estamos aqui em mais uma segunda-feira para trazer para você as dicas mais Bakanas para descomplicar o seu Português. Aproximamo-nos dos concursos e provas e, nada mais justo, que ajudarmos você a se sair bem nelas. Afinal, só o CUIDADO COM A LÍNGUA oferece a você a oportunidade de se especializar e preparar para o futuro sendo fera em nossa língua.

A dúvida de hoje foi sugerida pela ouvinte Selma, lá de Mutans. Apesar de ter sido ela a enviar essa questão, acredito que esta seja uma dúvida comum a muitos dos ouvintes que estão em nossa escuta. Por isso, prestem atenção na dica de hoje e nunca mais se esqueça de quando usar corretamente os tais dos “porquês”.

A língua portuguesa é repleta de palavras que muitas vezes fazem com que o falante fique em situação difícil. Uma das dúvidas mais frequentes é em relação ao uso dos porquês. São tantas possibilidades, que muitos não sabem por qual caminho seguir. Então, vamos lá, porque aprender nunca é demais!

Sempre que houver a necessidade de usar o porquê, a primeira preocupação deve ser em descobrir que função será exercida por ele. A partir disso, as regras devem ser lembradas. Acompanhe-as:

  • O porquê interrogativo, aquele grafado separado e sem acento, deve ser usado no início de perguntas quando puder ser substituído pela expressão “por qual razão” ou no meio das frases quando puder substitui-lo pela expressão “para que” ou “pelo qual”. Vejamos os exemplos:

– Por que não fez a tarefa?  Ou seja, por qual razão não fez a tarefa?

– Estudamos por que um dia o futuro será melhor. Ou, estudamos para que um dia o futuro seja melhor.

– Ou ainda A vitória por que lutamos chegará, que quer dizer, a vitória pela qual lutamos chegará.

Esse porquê aparece também na linda canção do Lenini.

(Por que não eu? – Lenini)

  • O porquê explicativo ou causal, popularmente conhecido como o porquê de resposta, deve ser escrito todo junto e sem acento. Nesse caso, indicará uma explicação, equivalendo à conjunção “pois”; ou uma causa, representando a conjunção “como”. Veja o exemplo: “A situação se agravou, porque o custo de vida aumentou.”

Esse aparece evidenciado na canção “Porque eu sei que é amor” do grupo Titãs.

(Porque eu sei que é amor – Titãs)

  • Quando o porquê exercer função de substantivo, indicando o motivo, deve ser escrito junto e deve ser acentuado. Para saber quando utilizá-lo, basta prestar atenção aos seus acompanhantes, se for artigo ou pronome, então, pode acentuá-lo. Exemplo: Se ele fez isso, deve ter um porquê. Gostaria de entender o porquê eu tenho que ir. Nos dois casos, pode-se substituir o porquê pelo motivo.
  • Já o porquê escrito separadamente e acentuado, deve vir sempre no final das frases, antes de um ponto; seja ele final, interrogativo ou exclamativo. Nesse caso, manterá também o sentido de “por qual razão”, “por qual motivo”. Exemplo: Vocês não comeram tudo. Por quê? Andar cinco quilômetros, por quê?

Esse porquê foi bem cantando pela dupla Jorge e Mateus.

(Por quê? – Jorge e Mateus)

Escrever corretamente não é fácil ainda mais quando o assunto é o uso dos porquês. Mas com as dicas de hoje não há mais como errar.

Resumindo:

Porque (junto sem acento) – usado para frases afirmativas (explicativas ou causais);

Por que (separado sem acento) – em frases interrogativas ou quando pode ser substituído por “pelo qual” e suas variações;

Por  quê (separado e com acento) – no final de frase interrogativa.

Porquê (junto e com acento) – quando for uma palavra substantivada.

Viram como é fácil aprender?

Só a 96fm proporciona a você, todas as segundas-feiras, as dicas mais Bakanas para descomplicar o seu Português. Por isso, não deixe de participar. Envie sua dúvida para nós que teremos o maior prazer em responder. Agora, você pode fazer isso também pelas redes sociais, através do site da guanambifm.com.br e do nosso aplicativo. O que você não pode é permanecer com esta dúvida. Envie-a para nós. As dicas da equipe bakana são as melhores para você aprender.

Toda segunda-feira, dentro do mix 96, Cuidado com a Língua, comigo, Fernanda Araújo.

Responder

Por favor, escreva seu comentário
Digite seu nome aqui