São Paulo, 19 – Dois homens suspeitos de participar do assalto à empresa Protege, em Campinas, foram presos com armas usadas em guerra, na noite desta segunda-feira, 18, em Hortolândia, interior de São Paulo. Eles tinham em seu poder um fuzil AK-47 e dois fuzis AR-15, além de 2,5 mil projéteis de calibres .30, .223 e .762, armamentos típicos de confrontos bélicos. Os criminosos estavam ainda com rádios comunicadores, coletes à prova de balas e roupas táticas, além de um Santa Fé blindado, usado no crime.

Samuel Santos e Santos já tinha passagem por roubo e Airton Francisco de Almeida Junior, o “Ranfeim”, já respondeu por tráfico de drogas.

rouboprotegeAs novas prisões, efetuadas por agentes do Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic), deram à Polícia Civil a certeza de que toda a quadrilha que roubou R$ 5
0 milhões no mega-assalto está prestes a ser desmantelada. Imagens de câmeras instaladas perto da Protege mostram o veículo apreendido. Segundo a investigação, os dois suspeitos estão entre os criminosos que se postaram à frente da empresa disparando em todas a direções para manter a polícia a distância. Eles também deram cobertura à fuga do bando.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui