Tiago Marques | Redação 96FM

A Ordem dos Advogados do Brasil Subseção Guanambi promoveu na noite desta quarta-feira (21) o primeiro debate eleitoral da história política do Município. Em um auditório composto por advogados, convidados e imprensa, os candidatos debateram suas propostas com transmissão ao vivo das emissoras de rádio da cidade. Durante o debate a 96FM monitorou a audiência daqueles ouvintes que acompanharam a transmissão através do sinal online das rádios. O acompanhamento se deu através do sistema SHOUTcast Stream Status.

Esta foi a maior audiência do ano segundo as estatísticas de acessos, cerca de 750 ouvintes chegaram a ligar simultaneamente seus computadores ou smartphones para ouvir as propostas dos candidatos pelas rádios. A audiência superou os 580 ouvintes que acompanharam a transmissão da partida entre Flamengo de Guanambi e Vitória pelas quartas-de-finais do Campeonato Baiano e os 520 ouvintes que acompanharam a cobertura da “Operação Burla”, deflagrada pela Polícia Federal em Julho.

audiencia-debate
O acompanhamento foi feito em tempo real através do sistema SHOUTcast Stream Status

O levantamento aponta que cerca de 54% das pessoas que acompanharam o debate pela internet estavam sintonizados na 96FM, a emissora chegou a ter 387 ouvintes simultâneos contra 196 da rádio segunda colocada em audiência, o site recebeu cerca de cinco mil acessos nas duas horas e meia de debate. Nas outras ocasiões de grande audiência registradas este ano, a 96FM liderou com margem superior a 50%. O engajamento nas redes sociais e a tradição de jornalismo da emissora contribuem para os bons níveis de audiência.

Um levantamento realizado pela INTERVOX Pesquisa no início do ano apontou que cerca de 75% da população guanambiense ouve rádio regularmente, destes 7% apontaram ouvir as emissoras da cidade pelo sinal da internet, seja pelos sites oficiais ou pelos aplicativos. Se este dado for levado em conta, guardadas as devidas proporções, pode-se concluir que cerca de 10.000 aparelhos estiveram ligados acompanhando as transmissões.







O Debate

O momento histórico proporcionado pela OAB colocou frente-a-frente Jairo Magalhães e Nilo Coelho para discutiram suas propostas. Antes de começar o enfrentamento de ideias, Jairo Magalhães falou com a imprensa, já Nilo Coelho deixou para falar com os repórteres depois do debate. Os candidatos tiveram três minutos para responder, um minuto para réplica e mais um minuto para a tréplica. A advogada Maria Luíza Brito, presidente da Subseção da OAB em Guanambi, fez a moderação do debate. Na plateia a presença da deputada estadual Ivana Bastos (PSD), o deputado federal Arthur Maia (PPS) e o secretário de estado de agricultura Vitor Bonfim (PDT).

Na primeira parte os candidatos tiveram três minutos para fazerem suas apresentações, eles usaram o tempo para falar de suas trajetórias políticas. A primeira rodada de perguntas foi destinada aos advogados que questionaram a falta de procuradores municipais concursados na prefeitura. Os dois candidatos se comprometeram a realizar concurso para ocupação destes cargos, bem como oferecer condições de trabalho para estes profissionais.

A OAB recebeu nos últimos dias uma série de sugestões de perguntas, elas foram previamente selecionadas e sorteadas aos candidatos, as primeiras perguntas foram sobre economia. Os candidatos falaram sobre geração de empregos e estrutura para instalação de indústrias. Também foi comentado sobre investimentos em projetos de irrigação para impulsionar a economia rural. A crise política pela qual passa o Brasil foi tema de uma das perguntas, os candidatos falaram sobre a generalização que implica a classe política brasileira à condição de descrédito da sociedade. O nome dos empresários presos pela Operação Burla em Julho foram citados como prestadores de serviço para a prefeitura de Guanambi numa tentativa de Nilo Coelho de ligar seus adversários à operação.

Quando o assunto foi meio ambiente o clima chegou a esquentar entre os candidatos. Os loteamentos as margens do Riacho do Belém foram o tema que causou discórdia entre eles. Jairo Magalhães citou que uma empresa ligada à pessoas próximas ao candidato Nilo Coelho seria responsável pela degradação do curso d’água. A fala do adversário irritou Nilo Coelho que desafiou Jairo a mostrar onde ele teria agredido o riacho. Nilo criticou a não realização da obra da barragem do Retiro, Jairo se defendeu citando que o cunhado do deputado federal Arthur Maia teria ganhado a licitação da obra, numa tentativa de tentar atribuir a não realização da obra ao político aliado do adversário. Arthur Maia que estava presente no auditório chegou a pedir direito de resposta, sendo negado pela comissão avaliadora pelo fato deste benefício ser exclusivo para os candidatos.

Por quatro vezes Nilo Coelho usou a expressão “deixa pra lá”, em duas oportunidades ele abriu mão da tréplica usando apenas a expressão para evitar prolongar o debate. Neste momento do debate aconteceram as maiores trocas de farpas entre os candidatos, as acusações mutuas e insinuações predominaram neste período.

Sobre educação e esporte Jairo Magalhães falou sobre o andamento do projeto Centro de Iniciação do Esporte que depende de repasses do governo federal para início das obras quando foi perguntado sobre projetos concretos sobre este tema. Nilo Coelho usou de sua réplica para criticar a falta de uma biblioteca pública e de escolas de tempo integral.

Segurança pública também foi tema que causou discórdia entre os candidatos, Nilo Coelho disse que criou a Guarda Municipal e que os adversários acabaram com este serviço, Jairo disse que desconhece que este órgão já tenha existido em Guanambi, insinuando que Nilo estaria confundido Guarda Municipal com Departamento de Trânsito. Ambos os candidatos defenderam a instalação da Guarda Armada no município. O videomonitoramento dos bairros também foi comentado pelos candidatos.

memes-candidatos
Na internet uma série de memes foram criados para referenciar as falas dos candidatos

Gafes

Jairo Magalhães se enrolou com uma pergunta relacionada à infraestrutura do município. Ao ser perguntado sobre acessibilidade nas vias públicas de Guanambi, o candidato exaltou investimentos feitos pela atual gestão na infraestrutura do município mas se esqueceu do tema central da pergunta que era inclusão social. Já Nilo Coelho se equivocou e disse que Guanambi possui quase 90 milhões de habitantes e confundir PSF com CPMF, se referindo ao Programa de Saúde da Família.

Por algumas vezes os candidatos responderam às perguntas fora de contexto, se confundindo algumas vezes com a interpretação dos questionamentos.

Sobre transporte público os candidatos falaram a respeito da manutenção de estradas e ampliação do transporte coletivo na cidade. Nilo Coelho ressaltou que construiu as principais avenidas da cidade enquanto nenhuma foi construída na atual gestão, Jairo rebateu que a gestão atual se concentrou em ofertar infraestrutura para os bairros já existentes, com a construção de praças, escolas, creches e postos de saúde.

O último tema debatido pelos candidatos foi a saúde. Nilo Coelho disse que caso seja eleito irá construir o Hospital da Mulher e o Hospital de Mutans, ele disse ainda que pretende implanta metodologias usadas no Sul do País para gestão da saúde pública. Nilo ainda criticou a falta de recursos para manutenção das unidades de saúde. Jairo apontou que o número de equipes de saúde aumentou significativamente no município, destacando a prevenção como principal medida de saúde a ser adotada em seu eventual governo.

Sobre a deficiência nas marcações de consultas e exames especializados Nilo defendeu a informatização do sistema de saúde municipal enquanto Jairo ressaltou a construção da policlínica que vai atender 19 especialidades médicas para os municípios do Sertão Produtivo. Nilo Coelho defendeu a instalação de um hospital de oncologia em Guanambi, Jairo voltou a se referir à atenção básica como principal prioridade na área de Saúde e sobre o fortalecimento do Hospital Municipal. O governo do Estado já anunciou que irá construir um hospital para tratamento do Câncer em Caetité.

Nas considerações finais os candidatos fizeram seus últimos esforços para convencer os ouvintes e agradeceram à OAB por proporcionar o debate. Eles aproveitaram o instante final para defender seus pontos de vista. A presidente da OAB comemorou a realização do evento. “Não medimos esforços para a realização deste debate, nós trabalhamos um mês e vinte dias para que ele acontecesse. A OAB é apartidária, agradeço a presença das autoridades e dos candidatos, além da imprensa que se dedicou para transmitir o debate para a população,” disse Maria Luíza.

Confira toda a repercussão do debate nos programas jornalísticos da 96FM:

07:00 – 96 Notícias 1ª Edição

12:00 – Mix 96

17:00 – 96 Notícias 2ª Edição

Responder

Por favor, escreva seu comentário
Digite seu nome aqui