Tiago Marques | Redação 96FM

Em entrevista concedida por telefone à rádio 106 FM nesta segunda-feira (03), Nilo Coelho anunciou que encerra a sua carreira política depois da derrota sofrida para Jairo Magalhães nas eleições municipais em Guanambi. Nilo Coelho agradeceu ao seu candidato a vice-prefeito, Felipe Duarte, à sua família, seus correligionários e seus 23.187 eleitores. “No dia 02 de outubro, encerrei a minha carreira política, a minha vida pública”, disse Nilo à radialista Neide Lu.

Após uma campanha intensa, Nilo Coelho que era apontado como favorito na disputa pelo volume de sua campanha acabou não conseguindo superar o prestígio do prefeito Charles Fernandes e sua capacidade de transferência de voto para Jairo Magalhães que teve 802 votos a mais e levou a melhor na disputa.

Nilo disse não ter ficado com ressentimento pelo resultado negativo e declarou que vai continuar trabalhando em seus negócios enquanto tiver saúde. “Eu não vou passar um só momento do futuro lamentando o que poderia ser, hoje mais do qualquer outro dia, tenho em meu coração somente amor e clamo ao Deus todo poderoso que abençoe e inspire o povo de Guanambi.Vou continuar trabalhando e lutando até o fim dos meus dias”, concluiu Nilo.

Trajetória

Nilo Augusto Morais Coelho nasceu em 1º de Abril de 1943, filho do político Gercino Coelho, morto em acidente aéreo quando fazia campanha política na década de 50 com Lauro de Freitas. Ele é Sobrinho do político pernambucano Nilo Coelho, que presidiu o Congresso Nacional.

Empresário, dono de inúmeras terras no interior da Bahia, a principal atividade ex-prefeito de Guanambi é a pecuária, mas também é um forte empresário do ramo de revenda de veículos. Ele despontou para a política baiana ao ser eleito prefeito de Guanambi em 1982, para um mandato que se estenderia por seis anos. Mas interrompeu-o, em 1986, para concorrer ao cargo de vice-governador na chapa capitaneada por Waldir Pires.

Vitorioso por grande maioria do eleitorado (quase um milhão e meio de votos de vantagem sobre o candidato carlista, Josaphat Marinho), Waldir Pires toma posse a 15 de março de 1987, nomeando o vice-governador para o cargo de Secretário de Minas e Energia. Nilo ascende ao governo com a renúncia do titular que deixa o poder almejando a vice-presidência na candidatura de Ulysses Guimarães em 1989 que foi derrotado ficando em sétimo lugar.

Depois de um tempo sem mandato eletivo, Nilo regressou na política sendo eleito deputado federal em 1998. Em 2002 ele não conseguiu se reeleger para o mesmo cargo. Em 2004 Nilo foi eleito mais uma vez prefeito de Guanambi, sendo reeleito em 2008. Em 2010 ele entregou o cargo para se candidatar novamente ao cargo de vice-governador do estado na chapa de Paulo Souto (DEM), eles foram derrotados por Jaques Wagner (PT). Na ocasião, Charles Fernandes assumiu a prefeitura no seu lugar, sendo reconduzido ao cargo em 2012.

Histórico Político de Nilo Coelho

42.º Governador da Bahia Bahia
Período 15 de maio de 1989
15 de março de 1991.
Antecessor(a) Waldir Pires
Sucessor(a) Antônio Carlos Magalhães
Prefeito de Guanambi
Período 19831986
Antecessor(a) José Neves Teixeira
Sucessor(a) Gileno Pereira Donato
Deputado Federal Bandeira da Bahia.svg
Período 1 de fevereiro de 1999
1 de fevereiro de 2003
Prefeito de Guanambi
Período 1 de janeiro de 2005
2008
Antecessor(a) Ariovaldo Vieira Boa Sorte
Sucessor(a) Nilo Coelho
Prefeito de Guanambi
Período 1 de janeiro de 2009
1 de abril de 2010

(informações Wikipédia)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui